A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise – Boyfriend Dungeon

A mistura de um dungeon crawler com dating simulator

Boyfriend Dungeon chega com uma ideia, no mínimo, inusitada. A Kitfox Games desenvolveu um jogo que mistura dois gêneros bem distintos, estamos falando de um dating simulator com dungeon crawler. Em resumo, enquanto você começa suas descobertas amorosas partindo para encontros com completos desconhecidos, também deve enfrentar vários monstros em uma dungeon próxima da sua casa. A ideia foi arriscada e o jogo foi financiado através do kickstarter, será que deu certo?

Começamos é claro, criando nosso personagem, e logo de início Boyfriend Dungeon chama atenção pela personalização disponível desde o início, algumas roupas e cabelos bem variados e a ausência de seleção de gênero, ao invés disso o jogo nos pergunta o pronome no qual você prefere ser chamado. O jogo também conta com avisos de conteúdo antes de iniciar, o primeiro sobre os gatilhos que possam ser causados pela trama romântica, e em seguida temos outro aviso sobre os conselhos maternos que você pode receber durante a jogatina, que podem ser desligados do jogo caso o jogador se sinta desconfortável. De início fica evidente o esforço para que o jogador se sinta confortável em Boyfriend Dungeon.

Verão, Férias, Encontros e LUTAS!

Imagine que você nunca namorou na vida e resolve tirar férias em outra cidade com um primo pra te aconselhar e conseguir novos encontros? Maravilha não é mesmo? Agora imagine que seus parceiros se transformam em espadas! Esse plot engraçado e ao mesmo tempo muito criativo é o que une o dating simulador ao dungeon crawler, e de uma forma muito natural, diga-se de passagem. Ao chegar na casa de seu primo para as férias, ele logo te encaminha para o shopping local em um date, chegando lá encontramos uma espada que fala, e esse será seu primeiro companheiro de batalha, como em um tutorial inicial e fluido para aprender os primeiros comandos e combos.

O personagem fica com a casa de seu primo a disposição, e o gameplay é muito simples nesta área. Temos apenas acesso ao quarto com um menu de objetivos, criação, revistas, espelho (para mudança de roupas) e o celular. Os objetivos serão coletáveis durante a jornada, a mesa de criação permite novas roupas e presentes para os nossos companheiros, as revistas são na verdade um poder extra. O celular aqui ficará encarregado de ser a nossa principal comunicação com os personagens, temos um novo menu simples com acesso ao chat, aqui é onde se dará a nossa interação social com os demais personagens, sejam armas ou não.

O primo nos guia através da tentativa de fazer melhorar em encontros e finalmente conseguir um namorado, já que, na premissa do jogo, o personagem será uma nulidade em relacionamentos. Aqui nosso primo nos apresenta seus amigos na cidade, bem como nos guia e/ou alerta sobre alguns fatos. Os pretendentes conhecidos na jornada também enviam mensagens através do celular, aqui serão muitos flertes e onde todos os encontros são marcados. A trama em suma será guiada pelo celular, o que sem dúvida, nos aproxima do jogo e causa maior imersão. Pode parecer bobo, mas a comunicação é algo tão rotineiro e cotidiano que as vezes podemos nos sentir falando com alguém da vida real. O mérito aqui fica a cargo da excelente localização do idioma, que vai muito mais a fundo que uma simples tradução, o jogo conta com vocabulário cotidiano, gírias e abreviações típicas do brasileiro.

A sua primeira espada encontrada será um charmoso rapaz chamado Isaac, conforma formos avançando na dungeon encontraremos mais espadas e cada uma será um novo personagem completamente diferente dos demais. Depois de encontrar as espadas desacordadas elas logo te enviarão uma mensagem no seu celular, para agradecer e te convidar para um encontro, assim, também ficam disponíveis para luta. Os personagens são completamente distintos e se transformam em armas completamente distintas, cada uma tem um estilo de gameplay diferente. O jogo aqui aposta na diversidade, tanto racial quanto de gênero, não há nenhum obstáculo para escolha, o jogo não te força nem a ter uma relação com uma pessoa sendo que também disponibiliza um dócil animal que se transforma em arma. A escolha é do jogador, e esse é outro ponto a ser destacado sobre o título.

A única obrigatoriedade de fato é que para concluir o jogo devemos ter o nível máximo com alguma arma. Basicamente toda arma possui 6 níveis de afeição diferentes, e o ganho de XP funciona assim: conforme lutamos nas dungeon ganharemos XP com a arma selecionada, ao chegar no máximo de XP daquele nível a arma te convidará para um date e assim, durante o date, você poderá progredir para um novo nível. Desse modo o jogo mescla os dois gêneros distintos.

Você no comando

Boyfriend Dungeon consegue mesclar de forma quase perfeita os dois estilos de gameplay presentes no jogo, temos uma parte narrativa muito bem construída que acaba incluindo as lutas no meio da história. Nosso personagem, como já mencionado, ficará hospedado na casa de seu primo e nosso principal acesso a comunicação é através do celular, absolutamente a maior parte do jogo acontece lá. Geralmente após a conversa com algum personagem temos duas opções: ir pra cidade e encontra-lo em algum lugar especial, ou ir as dungeons e lutar ao seu lado. Para o devido progresso no jogo as duas coisas deverão ser feitas em conjunto, e neste caso é possível optar por qualquer personagem disponibilizado, conforme o progresso, as armas vão melhorando em questão de features de combate e dano.

Cada personagem/arma possui um estilo de combate muito distinto, então você pode até mesmo ignorar as relações e preferir o estilo de gameplay. O critério é do jogador. O jogo também nos deixa livre para progredir com as armas simultaneamente. Os encontros marcados dependem muito da personalidade de quem você encontrará, pode ser algo muito simples ou um date mais rebuscado. Aqui o jogo assume seu papel de dating simulator, com excelentes diálogos dado total opção de escolha ao jogador. É interessante também notar que os próprios personagens evoluem conforme o nível de afeto, os que se mostram mais grossos no fim podem se demonstrar excelentes namorados, outros podem revelar alguns segredos macabros.

Curiosamente os personagens armas não são os personagens principais dessa trama, eles te ajudam a superar seus medos e traumas mas não tem grande atuação no enredo do jogo. No fim, você precisa descobrir quem está usando essas armas, qual é essa obsessão de onde surgiram esses monstros. Antes das férias acabarem você precisa concluir esse objetivo, o fato das armas terem pouco destaque aqui sem dúvida tira um pouco do brilho do jogo. Seria interessante dar maior destaque na trama principal a personagens que nos apegamos tanto.

Jogabilidade nas Dungeons

 

A gameplay e level design de Boyfriend Dungeon são seus pontos mais simples, enquanto toda a história parece ter demandado uma complexidade para que a ideia funcione de fato, aqui temos total simplicidade, o que também é claro, pode ser uma estratégia para atrair jogadores de visual novels ou players mais casuais.

O jogo possui apenas dois tipos de ataque: forte e rápido. Também com a opção de um especial através do botão R, recuperação de HP no botão L e também os rolamentos no botão B. Os combos são extremamente simples também, não precisamos de mais que apertar o mesmo botão 3 vezes para liberar um combo. A simplicidade de gameplay pode tornar esse título agradável para qualquer tipo de jogador, até os mais casuais. As dungeons de fato também são muito simples, o jogo contém apenas dungeons com 12 níveis, e nelas os monstros não evoluem tanto. Na primeira dungeon chega a ser bem engraçado o fato dos monstros serem celulares ou televisores, mas na prática essa ideia cansa rapidamente. Não existe muita variação de dificuldade conforme o avanço, a movimentação e ataques de monstros também parecem evoluir muito pouco. O jogo também possui pouquíssimos bosses tornado a experiência ainda mais fácil.

Combinando essas questões temos um jogo que peca que pela simplicidade, e que mesmo que seja uma estratégia, talvez seja simples demais ou fácil demais, algo que também poderia ser ajustado caso existisse uma opção de dificuldade. nesse sentido, o jogador mais focado em batalha pode encontrar uma experiencia frustrante e maçante.

Estilos diferentes

O jogo agrega dois estilos artísticos distintos, o usado durante as dungeons e durante os dates. Durante as dungeons temos um estilo minimalista muito moderno, com personagens que lembram uma pixel arte modernizada. Os monstros chamam a nossa atenção através de detalhes mais grotescos em itens perfeitamente comuns. Já na parte dos dates temos personagens desenhados com primor, com uma estética que lembra muito o estilo de anime, embora não seja exatamente a opção escolhida, os personagens se mostram carismáticos e a arte consegue demonstrar a personalidade de cada um através de detalhes. A trilha sonora completamente a experiência com uma batida moderna que adequa perfeitamente ao cenário do game, mesmo aqueles que não costumam jogar com trilha ativa conseguem se deliciar com os ritmos eletrônicos escolhidos pela Kitfox Games.

A escolha artística somando trilha sonora e estilos gráficos gera uma sensação de modernidade e nostalgia ao mesmo tempo, o jogo consegue nos prender com esse mix de sentimentos que deixa bem claro a intenção de mix de gêneros. As animações são belíssimas e o desempenho do jogo é impecável em qualquer modo de jogatina.

Uma aposta certeira

Boyfriend Dungeon é uma experiência singular, a mistura curiosa funciona de uma forma muito fluída tornando o jogo um projeto único e até mesmo apaixonante. Apesar dos defeitos aqui comentados, a proposta única e a diversão causada pelo jogo superam os pontos negativos. A criatividade da Kitfox Games é um dos grandes destaques deste ano. Aos que gostam de apostar em jogos diferentes, o jogo é um must-have, e com certeza essa ousadia deve ser um exemplo na indústria.

Análise – Boyfriend Dungeon
Veredito
Boyfriend Dungeon é um jogo extremamente criativo que apela para uma história inusitada que funciona de forma surpreendente. Possui personagens carismáticos e dá total liberdade de escolhas ao jogador. O ponto negativo fica a cargo da baixa dificuldade e jogabilidade simples para combate.
Prós
Gráficos
Plot Criativo
Personagens Carismáticos
Diversidade de Opções
Contras
Baixa dificuldade
Dungeons fracas
7.7
Comentários