A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise: Code of Princess EX

7

Code of Princess EX é um Beat em’ up com elementos de RPG que era exclusivo do Nintendo 3DS (que foi lançado lá em 2012) e que agora ganha um port HD para o Nintendo Switch. O game foi distribuído agora pela Nicalis, que conseguiu os direitos de comercialização do título.

Como já dito, Code of Princess era um jogo de 3DS lançado em 2012 e tinha seus problemas já no portátil, mas a Nicalis apostou no título para tentar atrair o público que é fã de Beat em’ Up ao console da Nintendo. Vale ainda lembrar que o desenvolvimento do game conta com membros do clássico Guardian Heroes. Vale ressaltar desde já para quem já jogou no 3DS, que a versão de Switch não traz nenhum conteúdo novo.

A aventura começa com um mundo em que monstros e humanos vivem em paz. Porém, em certo momento, os monstros atacam o reino de DeLuxia comandados por uma misteriosa rainha maligna que tem como objetivo a poderosa DeLuxcalibur, que é uma espada sagrada do reino. Tudo isso é presenciado pela princesa Solange Blanchefleur de Lux que recebe de seu pai, além da espada, a missão de protege-la. É ai que começamos a jogar e conhecemos outros personagens. A história que é bem simples, mas também não deixa a desejar, já que se trata de um Beat em’ Up.

A melhoria gráfica em relaçãoa versão de Nintendo 3DS é bem notável, mas percebemos já no começo que se trata de um port HD. Algumas texturas com baixa qualidade e grande quantidade de serrilhados fazem isso ficar mais evidente na TV. Já no modo portátil, o jogo parece fluir melhor e os gráficos ficam melhor “encaixados”. A trilha sonora que já era boa no Nintendo 3DS não mudou, não há nenhuma faixa nova, mas isso não é nem de longe um problema.

A jogabilidade tem seus altos e baixos. No Nintendo 3DS o game tinha muitos lags durante o gameplay, fazendo com que ficasse sofrível se juntasse muitos inimigos na tela, o que não era raro acontecer. Na versão de Switch, isso não acontece e tudo roda bem mais liso, só que o que atrapalha é a repetitividade que o game apresenta. Os combos estão presentes, mas não há uma grande biblioteca deles por aqui. Há também alguns elementos de RPG que interferem sim e muito nas habilidades de cada personagem jogável, mas não compensa a repetição que pode ficar enjoativa com poucas horas. Quem não acha isso um problema, Code of Princess EX é tão curto quanto sua antiga versão, com poucas horas para fechar a campanha e pouquíssimo fator replay para continuar jogando, até mesmo no modo online existente.

60%
Ok

Code of Princess é no fim um jogo mediano, com boas intenções e mecânicas interessantes, ainda que mal executadas em alguns aspectos. Pode agradar fãs do estilo Beat em’ up, mas rende poucas horas de gameplay com baixo fator replay. Está longe de ser um jogo ruim, mas fica aquela sensação de poderia ter sido mais. Outra coisa que incomoda é a falta de conteúdo extra em relação a versão de 3DS.

  • Final
O jogo foi gentilmente concedido pela Nicalis para esta análise.
(The game was kindly granted by Nicalis for this review.)

Deixe um comentário

7 Comentários em "Análise: Code of Princess EX"

Ser notificado por
mauroalves
Amiibo

Analisaram de modo corrido só por não ser famoso e ainda por cima ser de anime, chega a ser ridiculo essa parcialidade de vocês.

cvertigem
Amiibo

No 3DS não curti tanto pelos problemas de desempenho,
eu sou um cara que NÃO é chato com essas coisas, 30FPS já me satisfazem, o problema nesse jogo no 3DS eram as quedas de frames constantes, as vezes parecia que ficava a uns 15FPS, e era um jogo bem simples graficamente, pois são sprites 2D em um cenário tridimensional (estilo Octopath)
Sei que será uma experiência melhor no Switch, mas só comprarei quando estiver menos de 180 reais (a versão física), ainda assim tem muitos jogos na frente.

Emissario
Amiibo

Jogo caça-niquel do mais safado.

mauroalves
Amiibo

Só falou bosta.

Kid Kaos
Amiibo

Caça niquel não é. eu gostei bastante dele no 3DS e não me arrependi de jogar de novo no Switch. Tá certo que ele não é nem de longe perfeito, mas chamar de caça-niquel é bem injusto.

cvertigem
Amiibo

É apenas um remaster do 3DS

Se esse é caça-niquel, todos os ports do WiiU (Mario Kart 8 Deluxe, Hyrule Warriors e etc.) além do Monster Hunter Generations Ultimate (remaster do 3DS) também são