A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise: Deep Ones

3

Deep Ones é um jogo de plataforma 2D retro que remete ao antigo ZX Spectrum que já tinha uma versão da Steam, mas que agora chega ao Switch. Foi desenvolvido e distribuído pela Sometimes You. Deep Ones tem uma temática subaquática, onde um mergulhador perde seu submarino e deve recuperá-lo. A história é na verdade mais uma esquete para o game, que não aprofunda em nada nela.

Logo no primeiro nível sentimos a diferença de um jogo que se passa de baixo da água, com movimentos e comandos lentos, o que não é um ponto negativo, já que se trata de um jogo subaquático e comandos lentos dão uma imersão maior ao game. Não há segredo em jogar Deep Ones, é apenas andar, pular plataformas e atirar em inimigos. Os níveis são a maioria todos muito parecidos e torna o jogo maçante depois de um tempo, há uma dificuldade “ok”, mas a maioria dos níveis exigem memorização do que fazer, mesmo que o jogo te dê a sensação de que o Level Design poderia ser melhor boa parte do tempo.

Há algumas coisas na jogabilidade de Deep Ones que chamam a atenção, pois não é possível atirar em quanto pula, em inúmeras vezes você aperta o botão uma vez e saem dois disparos, tornando todo o game muito travado. Também não é um jogo linear o tempo todo, sendo necessário explorar para concluir um nível algumas vezes.

Por mais que a jogabilidade não seja nada original, as batalhas contra chefes são as mais divertidas. Envolvem sim uma memorização para derrotar o chefe, dificilmente passando de primeira, mas o que chama mais a atenção é a arte. Ainda que o jogo tenha níveis muito parecidos, a arte é muito bonita e colorida e chama muito mais atenção durante as batalhas com chefes.

A trilha sonora não é retro e tem um estilo mais eletrônico, porém, bem suave. Longe de ser ruim, mas por não ser retro acaba até não combinando com o game as vezes, incluindo nas batalhas contra chefes. Já os sons que são feitos pelo protagonista são retros e combinam perfeitamente com o game.

50%
Medíocre

Deep Ones é um jogo de plataforma 2D retro que não tenta inovar, mas cumpre o pouco que promete. Tem comandos lentos pela sua temática e uma arte incrível, mas a repetição de níveis e alguns problemas de jogabilidade pode afastar o jogador da aventura. Seus níveis exigem memorização do que fazer e depois de um tempo você consegue progredir sem problemas. As batalhas contra chefes são as mais divertidas do game. A trilha sonora não é ruim, mas não combina com o jogo, isso incomoda mais ainda em batalhas contra chefes. O preço pequeno de Deep Ones faz com que ele seja uma boa opção para quem procura algumas horas de diversão por um preço leve, mas não é nem de longe um jogo obrigatório para donos do Switch, pois Deep Ones é um game com público bem específico.

  • Final

Jogo fornecido gentilmente pela Sometimes You para análise.
Deep Ones está disponível na Nintendo eShop por 4,99 dólares.

Deixe um comentário

3 Comentários em "Análise: Deep Ones"

Ser notificado por
Zain Zahir
Amiibo
Review: Deep Ones Jogo indie, estilo retrô, com temática submarina e referências a Bioshock (na submersão), Monkey Island (na história) e Lovecraft (no medo existencial e no fantástico). A tela inicial do game é bem simples, tão simples quanto tudo no jogo é. Ao iniciar em “new game” temos uma pequena “animação” feita com a própria arte do jogo, onde dá início a “história”. Nosso personagem é um mergulhador que sofre um acidente com seu submarino, então ele sai para consertar e é atacado por um polvo gigante vermelho que e leva seu submarino para o fundo. E nessa premissa… Ler mais »
Tsunami
Amiibo

Joguei a demo e achei horrível esse jogo.