A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise Kirby Star Allies

2

Não preciso mencionar que Kirby é uma das séries mais famosas da Nintendo e isso não é a toa visto que a série nunca teve um título ruim. Agora Kirby Star Allies chegou e todos queremos saber se a tradição de qualidade da série se mantem.

Kirby Star Allies(KSA) chegou em um momento de alto sucesso da série que depois de vários títulos seguidos com alta qualidade estava no seu auge de popularidade com Kirby: Triple Deluxe e Kirby: Planet Robobot.

Trata-se de um plataforma 2D com visuais em 3D que em algumas situações muda para um Runner, Pluzze ou jogo de “nave”.

Planet Robobot é considerado por muitos o melhor título da série o que não é um feito fácil tendo em vista que ele superou o saudosismo. Então chegamos em Kirby Star Allies que é uma sequencia de uma grande sucesso e vem para encerrar as comemorações de 25 anos da série.

Para falar de KSA temos que começar pelos visuais. Não é costume falar disso logo de cara em uma análise, mas temos que abrir uma exceção para o KSA.

é lindo e impressiona o tempo todo com seu estilo artístico encantador

Dessa maneira a arte encanta e deixa o jogador desde o inicio admirando a qualidade. Essa qualidade exigiu um sacrifício por parte da desenvolvedora. O jogo roda em 30 fps cravados e sem quedas, mas isso pode incomodar alguns jogadores que preferem menor fidelidade visual e 60 fps. Pessoalmente como não notei uma unica queda durante a jornada isso não me atrapalhou.

Os efeitos deixam tudo muito interessante e isso inclusive influencia na musica que muda de acordo com o ambiente que o personagem se encontra como por exemplo um efeito próprio para quando o personagem está mergulhando.

E como falar de Kirby e não falar da sua trilha sonora incrível. Não é exagero dizer que é uma das melhores trilhas sonoras já feitas para um título da série ou para qualquer jogo de vídeo game. Simplesmente todas as musicas são excelentes e isso deixa tudo com um ar encantador. Há novas trilhas e vários remixes de musicas que marcaram a série. Diria que é o Kirby que mais leva isso em consideração, deixando os fãs super felizes.

Já que toquei no assunto temos que falar desse banho de conteúdo para os fãs. O jogo inteiro foi feito pensando nos fãs. São descrições reveladoras, musicas bem colocadas, personagens jogáveis, fases, poderes e inimigos posicionados de uma forma que vai agradar qualquer um que acompanha a série a tanto tempo.

A jogabilidade é praticamente a mesma que foi consagrada. O personagem pode andar e pular além de capturar inimigos e pegar seus poderes. Os desenvolvedores trouxeram de volta vários poderes que estavam sumidos a um bom tempo e tiraram alguns do jogo anterior. Não vou revelar quais são os poderes para não estragar a surpresa, mas quero dizer que esse é o jogo do Kirby com mais poderes já feito o que por si só o deixa com muita variedade.

Outra grande possibilidade foi a volta da possibilidade de combinar poderes que são geralmente usados para solucionar os enigmas apresentados e garantem algumas interações com o cenário como a possibilidade de queimar a grama.

Agora vamos adentrar na areá da jogabilidade. Primeiramente gostaria de dizer que o título é extremamente bem construído para sua proposta que é ser “multijogador”. Isso significa que ao criar as interações os desenvolvedores afastaram mais a câmera e criaram situações onde estar com amigos é necessário para prosseguir.

Não existe modo online e por isso é obrigatório que a partida multijogador seja local e como é necessário para passar as fases a ajuda de “amigos” eles colocaram personagens controlados por inteligencia artificial(IA). Ai mora o problema e a solução, pois os personagens controlados pela IA são extremamente bem feitos. Eles pulam na hora certa, eles evitam colisões e inimigos, eles atacam quando tem que atacar e funcionam perfeitamente o que deixa fácil quando você está acompanhado por três deles.

A IA é tão boa que pode derrotar um mestre sem o seu auxilio e isso fica bem evidente até metade do jogo. Eu não acho que uma IA tão boa seja um problema. Na verdade eu acho incrível o trabalho que fizeram, mas eles deviam ter inserido uma barra de vida maior para os mestres. Os mestres são incríveis e bem feitos, mas morrem muito rápido se você estiver com o time completo.

Motivo pelo qual em boa parte da aventura eu só andava com um companheiro pra deixar mais divertido. Perto do final a dificuldade aumenta um pouco, mas não é nada complexo. Por isso minha recomendação é jogar com amigos ou usar apenas um personagem controlado pela IA.

Vale citar que se for utilizado por uma criança ou pessoa que não costuma jogar videogames a dificuldade é a ideal e dificilmente ela vai conseguir fazer 100%, ou seja, o modo principal é bem projetado para uma faixa etária de pre-adolescentes e a dificuldade aumenta se não usar a ajuda da IA.

Outra coisa muito emocionante é a quantidade e qualidade dos amigos que podem ser recrutados para participar da jornada e eles são pura nostalgia. Inclusive houve um DLC gratuito no lançamento com mais personagens para se juntar a turma. Alguns desses personagens tem poderes únicos.

O level design é algo que precisa ser comentado. O jogo tem as suas fases projetadas para partidas multijogador e por isso a câmera é um pouco mais afastada e as fases são mais simples. Considerando a proposta o level design é muito bom. Diferente dos anteriores o título todo é projetado para jogar com os amigos. Isso significa que seus amigos são essenciais e participam das fases. Nos anteriores o segundo jogador era apenas um acompanhante que tinha que seguir o Kirby. Nesseo segundo jogador é tão importante quanto o primeiro e participa dos enigmas que são oferecidos.

Desse modo se você vai aproveitar a aventura acompanhado de um ou mais amigos esse jogo tem uma ótima proposta.

Existe dois mini games que pra falar a verdade são bem simples e não vão fazer você passar muito tempo neles. eles são obrigatórios para fazer 100%, todavia com cerca de 20 minutos você consegue terminar ambos.

Uma ótima pedida é o pós game que é de excelente qualidade. Como é tradicional na série tem basicamente dois modos: um onde você enfrenta todos os mestres em sequencia e outro onde você vive novamente a aventura com maior dificuldade e novo conteúdo.

A aventura tem um grande valor de Replay e aqui o título brilha. Normalmente eu não falaria de modos destraváveis em uma análise, mas acredito que isso vai ser fator decisivo na escolha das pessoas.

Depois que você termina você pode jogar a campanha com qualquer personagem e ela fica maior, melhor e com uma boa dificuldade. A mesma coisa sobre o modo Arena e True Arena(que agora é um único modo juntando ambos) que tem varias dificuldades e vão aumentar o valor de replay.

Eu realmente queria dizer que durante o tempo que passei jogando essa preciosidade eu tive um grande sorriso no rosto e me senti feliz. Kirby Star Allies é extremamente divertido e veio com chave de ouro pra encerrar as comemorações de 25 anos da série.

Ainda que ele não seja uma evolução do que foi Kirby: Planet Robobot ele tem seus próprios méritos e o primeiro jogo da série desenhado com o multijogador em mente.

Eu diria que é imperdível para os fãs da bolinha rosa e é o melhor jogo do Kirby para quem vai conhecer a série. Eu apenas não recomendo para quem espera um grande desafio.

90%
Divertido

Kirby Star Allies faz com que a simplicidade de sorrir seja algo duradouro. O jogo é lindo e tem musicas que impressionam pela qualidade. Diverte bastante e se você puder juntar mais três amigos vai ter uma das experiencias mais divertidas no Nintendo Switch. É um título que deve ser apreciado em sua totalidade.

  • Total

Deixe um comentário

2 Comentários em "Análise Kirby Star Allies"

Ser notificado por
RChaos
Amiibo

Sua análise me deixou empolgado pra jogar o jogo. Parece que a Nintendo usou a mesma estratégia de quando lançaram o New super Mario Bros Wii

Anderson Galvão
Amiibo

Valeu galera, sempre trazendo trabalhos de qualidade.