A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise: Mushroom Wars 2

1

Se você deseja adquirir um jogo de estratégia e guerra, sendo partidas curtas e possuindo com modo single e multiplayer, talvez seja o jogo ideal para você.

Basicamente em Mushroom Wars 2, você e seu oponente começam em lados opostos do mapa e devem enviar seu exército sempre crescente para as torres vazias espalhadas pela área podendo consolidar um exército maior e mais forte. Como comandante do exército, você tem que escolher os momentos certos em melhorar suas torres ou crescer mais seu exército, para então atacar seu inimigo.

A jogabilidade gira em torno de comandar suas forças na batalha. No modo single player possui mais de 200 estrelas para conquistar, espalhadas por quatro níveis de dificuldade, desta forma há muito conteúdo disponível, entretanto o jogo fica um pouco repetitivo depois de um tempo.

Sendo assim, dependendo do nível específico, você começa a batalha com uma ou mais aldeias de cogumelos, junto com um número designado de soldados que ocupam essas aldeias. Seu oponente começa de maneira semelhante, embora haja momentos em que eles tenham uma clara vantagem; eles podem ter mais soldados ou mais locais ocupados, e isso que particularmente achei um pouco complicado, pois com um nível de dificuldade mais elevado você tem que ter uma boa habilidade para trocar e conquistar os edifícios com rapidez se quiser ganhar a batalha.

Existem três tipos de edifícios que você pode ter: aldeias, torres e forjas. As aldeias lentamente criam soldados e, à medida que você melhora uma aldeia, a velocidade da criação aumenta, assim como a quantidade de soldados que ela pode manter. Uma aldeia pode ter um número infinito de soldados se você os mandar para lá, mas tem um limite para quantos pode criar para se manter de uma só vez. As torres têm um raio para atacar todos os inimigos e as atualizações estendem esse raio. Forjas aumentam o nível do ataque e da defesa de todas as unidades, e quanto mais forjas você tiver, maiores serão os bônus. As aldeias são os únicos edifícios que criam unidades, além de alguns edifícios especiais que só aparecem em certos modos de jogo.

Além de controlar os soldados, também existem habilidades de cada herói, adquirida com o passar do tempo na partida. Com base no herói escolhido, as habilidades disponíveis variam. Cada herói tem quatro habilidades que se tornam disponíveis para uso quando você ganha energia. Depois de acumular energia suficiente, a primeira habilidade fica disponível. Caso não use essa habilidade, você pode juntar mais energia e que seja o suficiente para destravar a segunda habilidade, depois a terceira e a quarta. As primeiras habilidades usam menos energia, então você precisa pensar sobre quais habilidades você quer usar e quando você quer usá-las. Cada personagem possui suas próprias habilidades variando entre, aumentar a defesa de um prédio por um curto período de tempo, aumentar o moral, aumentar temporariamente a velocidade, bombardear uma área e muito mais. Se usado corretamente, algumas dessas habilidades podem fazer com que domine a batalha. A desvantagem, mas é o que deixa legal a batalha, é que seus oponentes têm seu próprio conjunto de habilidades que podem destruir você também.

Outro aspecto que mantém as coisas interessantes é a variedade de modos disponíveis. Você pode jogar o modo conquista, dominação e rei da colina. No modo Conquista envolve a captura de todos os edifícios dos inimigos; no modo dominação se concentra em capturar todos os edifícios especiais no mapa; e o modo rei da colina gira em torno de edifícios especiais para fazer uma contagem total até zero. Com base no objetivo específico, suas estratégias podem mudar e você definitivamente precisará aprender a se adaptar.

O modo Multiplayer é um recurso que achei mais interessante, pois você pode jogar de diversas formas, sendo bots ou seus amigos. Os jogos podem ser desde um contra até uma batalha que tenha quatro exércitos batalhando entre si, além de possuir dois contra dois. Mais jogadores em uma batalha significa mais exército para dominar, o que cria mais caos e tensão, precisando ser estratégico e planejar seus movimentos durante este caos, sendo difícil, entretanto divertido. Ter mais de um inimigo para enfrentar de uma só vez significa que você precisa ter cuidado, porque fazer um movimento em um oponente pode deixá-lo aberto para atacar de um inimigo diferente. “

85%
Estratégia

Mushroom Wars 2 é um jogo de estratégia com desenhos legais e uma mecânica bacana, entretanto necessita de uma boa habilidade em níveis mais elevados. Tendo partidas rápidas, o jogo nos proporciona uma boa quantidade de horas de jogo, mesmo não tendo uma história muito diversificada. As habilidades dos heróis é o fator chave, em que deixa o jogo mais divertido e estratégico, principalmente em partidas multiplayer. Mushroom wars 2 é um jogo bacana para ter em sua coleção para quando juntar com os amigos testar e ver quem é mais estratégico em uma guerra.

  • final

Deixe um comentário

1 Comentário em "Análise: Mushroom Wars 2"

Ser notificado por
Otaner
Amiibo

“Jogabilidade necessita de uma boa habilidade e agilidade para níveis avançados.”

Estranho colocar isso como ponto negativo, pois jogos de estratégia necessitam um bom nível de habilidade e agilidade para micro e macro control em níveis avançados ou nos vs, vide AGE(s) nos vs ou nas dificuldades normal pra cima, Warcraft 3 com os rushs, StarCraft 1 e 2 com zerg Control, C&C Red Alert 1, 2 e 3 com sovie rush etc.