A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Analise – Puss

Uma "bad trip"

Puss leva você para em vários tipos de viajem, primeiro com sua ambientação no vaporwave que nos leva de volta a 2010 época onde esse estilo visual e musical. Segundo para época do flash que, apesar de recente, morreu mas os espíritos de dois grandes jogos memes foram passados para esse, “The Scary Maze” e “o jogo mais difícil do mundo” sucessos do início da década de 2000.

A melhor definição para Puss é essa, “jogo meme” uma definição minha para jogos com muita referencias a algo que viralizou ou fez sucesso na internet e é o que não falta aqui! O problema é que memes saturam em algum momento e com ele não é diferente.

Paciência é a chave para esse jogo, contudo ter um numero de tentativas (vidas) nesse tipo de jogo torna tudo muito punitivo pois cada mundo consiste em passar de 9 fases para chegar ao chefe e a curva de dificuldade escalona muito rápido, depois de passar por um ou dois cenário bem tranquilos , rapidamente se transforma em algo que exige uma habilidade milimétrica. Na versão da Steam pode ser mais fácil porém, nos Joy-con, a coisa muda de figura e vira algo extremamente punitivo e qualquer toque por menor que seja te leva a perder uma vida, por diversas vezes morri em locais que não eram ao menos curtos mas um simples resvalo na parede me fez ter que começar tudo de novo alguma fase que já estava bem perto do fim. Se ele fosse apenas fases de labirinto não seria tão ruim mas ainda em os chefes.

Cada chefe tem um método diferente para ser derrotado, mas todos eles te atacam como se estivesse em um bullet hell, projeteis voam pela tela e um gameplay totalmente fora do resto do jogo. Aumentando ainda mais a curva de dificuldade, a precisão se faz ainda mais necessária e se zerar as vidas, volta tudo de novo! Isso desanima demais e mesmo se ficar travado em alguma fase e resolver ir para outro mundo, aquela fase vira te atormentar nele também enquanto você não derrotar um boss depois de passar dela.

No fim ele é um ótimo jogo se você “trollar” seus amigos, mas não é muito bom se você quer se divertir sozinho. O preço no console é um pouco salgado custando 3 vezes mais que na Steam, 60 reais na Eshop BR, um valor muito alto para passar raiva.

50%
Regular

Puss, em essência, é um gato, em um momento ele fofo e no momento que você tenta fazer carinho nele é quando mostra as unhas e tenta morder! E por mais que você saiba o que vai acontecer, acaba sempre caindo na mesma armadilha.

  • Design
Comentários