A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise: Quake

Quake é um dos títulos primordiais dos jogos de tiro, desenvolvido pela id Software responsável também por Wolfenstein e Doom. Dentro de minha percepção, Quake sempre foi menos popular que as demais séries e, somente agora com seu relançamento, que tive a oportunidade de jogá-lo pela primeira vez. 

A estrutura de Quake é semelhante ao seus antecessores, Wolfenstein e Doom, com um ritmo rápido de jogabilidade e com fases com mapas complexos, grandes e cheios de segredos. Essa é uma estrutura comum aos jogos da época, mas que atualmente é bastante rara em grandes produções. A jogabilidade coloca um foco em manter o jogador em movimento e com um arsenal capaz de lidar rapidamente com qualquer confronto se o jogador for habilidoso o suficiente para atirar de maneira adequada enquanto desvia dos ataques de inimigo, também semelhante aos seus antecessores.

O principal diferencial de Quake em relação aos demais títulos está em sua ambientação e inimigos que são drasticamente diferentes dos demais. Enquanto Wolfenstein é situado durante a Segunda Guerra Mundial e Doom tem uma temática sci-fi e inferno, Quake é uma mistura de vários elementos diferentes como castelos medievais, fortalezas sci-fi, inferno e muito mais. É estranho passar entre ambientes tão diferentes, mas também ajuda a manter o título interessante durante seus níveis. Essa mesma variedade estranha é presente nos inimigos, uma hora você está lutando contra demônios e no seguinte uma armadura medieval que sabe atirar. 

O jogo tem uma quantidade boa de níveis e que, no meu caso, levam algum tempo para serem completados, pois tenho que explorar tudo ao seu redor. É bem claro que é possível concluir essas fases de maneira bastante rápida conforme o jogador adquire mais proficiência no combate e sabe onde os segredos estão escondidos. Particularmente, achei o Switch uma plataforma bastante apropriada para a experiência devido a duração das fases e ao ritmo da jogabilidade, permitindo sessões rápidas e curtas de jogatina. Minha única reclamação fica por parte dos drifts em meus Joycons que acabaram por me atrapalhar um pouco. 

Jogo analisado com código fornecido pela Bethesda.

80%
Ótimo

Quake é um jogo antigo, mas que absolutamente vale a pena ser conferido se você gosta de jogos de tiro com uma jogabilidade rápida. A essência da experiência de Quake está puramente em sua jogabilidade e é o principal atrativo do título.

  • Design
Comentários