A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise – Sally’s Law

0

Bem vindo a Sally’s Law, a historia do relacionamento entre um pai e uma filha, visto pelos olhos de quem realmente importa: O pai e a filha, oras!

 


-O Enredo

Com uma historia envolvente, a narração fica por conta da falecida mãe de Sally e dos próprios personagens. O interessante é que enquanto o jogador vai resolvendo os puzzles, as legendas vão aparecendo ao fundo do cenário —fugindo do padrão cena>gameplay>cena.

O jogo se desenrola ao mesmo tempo por duas perspectivas: a primeira parte de cada fase vemos o lado de Sally e o seus pensamentos/sentimentos para com seu pai, e no restante da fase, o medo super-protetor e o carinho de seu pai com tem com ela.


-A Jogabilidade

Da paisagem ao comandos em si, o jogo inteiro é minimalista. Tudo deixa o jogador prestar atenção na história, ao mesmo tempo que observa detalhes no cenário —como os animais interagindo com a aproximação do jogador, por exemplo— e resolve os puzzles ao mesmo tempo.

No começo de cada fase o jogador controla Sally: ela esta sempre indo em frente e o único cuidado é para que ela não caia ou fique presa em algum lugar. Todo os comandos que forem feitos nessa etapa vão facilitar ou dificultar na segunda, pois ao jogar com o pai de Sally, ela vai repetir tudo que foi feito —só um pouco mais lenta—

Em seguida vem o pai dela protegendo-a removendo obstáculos e abrindo caminhos. Ele pode ir para direita ou para esquerda livremente, mas só consegue “pular” se encostar em Sally.

Ao decorrer das fases novas mecânicas são apresentadas pouco a pouco mas sem aumentar a dificuldade ao final, coisa que decepciona um pouco já que com uma execução melhor, essa mecânica dos dois personagens daria vários desafios mais intensos.

Mas obviamente o foco do jogo é a historia, e de cara o jogador já percebe que o jogo tem uma pegada mais tranquila do tipo “relaxe e aproveite”


-O Som

Todas as falas do jogo estão em japonês com legendas em inglês, o que pode confundir de primeiro momento, mas acrescenta ainda mais ao charme do jogo. Os criadores foram bem atentos aos detalhes, onde percebe-se um barulho diferente ao cair na grama/cimento, som dos animais e afins

A trilha sonora como um todo é bem variada e relaxante, contextualizando bem com o ritmo do jogo. O único porem é que a duração das faixas são curtas, e se o jogador travar em alguma fase pode acabar se irritando com a musica recomeçando varias vezes —no meio da fase, inclusive—


-Os Extras

—Multiplayer:

O jogo conta com um modo Multiplayer local onde cada joy-con controla um personagem, liberando assim a limitação de movimento da Sally mas mantendo as mesmas regras padrões —o pai ainda precisa encostar nela pra “pular”, etc.

—Coletáveis:

Em algumas fases do modo singleplayer aparecem pequenas fotos para serem coletadas, abrindo uma artwork se completadas todas do capítulo. Tem também roupas extras que podem ser coletadas no multiplayer (são 28 no total).

O jogo foi gentilmente concedido pela Nanali para esta análise.
(The game was kindly granted by Nanali for this review.)
89%
Charmoso

Veredito

Sally's Law poderia facilmente se passar por uma "historia da vovó" de tão bonito e bem desenhado que é, SE tivesse um plot-twist ou uma "moral da historia" no final. A falta de desafio dos puzzle torna o jogo mais curto do que ele já é, deixando o jogador apenas aproveitando a historia caso não se interesse em coletáveis/roupas. Confesso que me identifiquei tanto no papel de filho(a) longe do pai, quanto no papel de pai fazendo de tudo para proteger a filha. 

  • gameplay 80%
  • som 85%
  • Enredo 93%
  • Visual 97%
  “imagens retiradas da internet”

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Ser notificado por