A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Pokemon Brilliant Diamond na Nuuvem

Pokemon Shining Pearl na Nuuvem

Análise: Serious Sam Collection

Serious Sam é, primariamente, uma série de jogos de tiro cuja principal plataforma é o PC. Recentemente, os jogos principais da série tem sido portados para consoles e, atualmente, temos Serious Sam Collection para o Switch que conta com os jogos First Encounter, Second Encounter e Serious Sam 3 BFE além de todos os DLCs dos mesmos. Existe um Serious Sam II, porém é um jogo largamente ignorado pela própria produtora. O quarto título principal, Serious Sam 4,  foi recém-lançado para PCs e ainda há uma enorme variedade de spin-offs da série em vários gêneros.

No primeiro jogo, a humanidade está próxima da extinção devido à uma invasão alienígena. Sam é enviado ao passado para o Antigo Egito e tenta descobrir um meio para modificar o passado e fazer com que a guerra favoreça a humanidade. Porém, os aliens também seguiram Sam em seu pulo temporal e, portanto, ele deve lidar com muitos inimigos em seu caminho.

Sam começa sua jornada praticamente desarmado para lutar contra os aliens, mas logo é possível obter armas típicas do Antigo Egito como Lança Foguetes, Tommy Gun, Colt, Escopetas e muito mais. O arsenal de armas em cada jogo é considerável e cada nível tem segredos muito bem escondidos. Esses segredos permitem o jogador obter armas poderosas de maneira rápida e que facilitam bastante os confrontos iniciais.

Os confrontos são a peça chave da série e que a torna bastante divertida. A jogabilidade básica é semelhante a títulos como Doom e Duke Nukem, ou seja, há um foco em manter o jogador em constante movimento enquanto se elimina os inimigos com pouco ou nenhuma oportunidade para cobertura ou furtividade. O grande diferencial de Serious Sam e dos demais títulos é o número de inimigos que, em um único confronto, podem chegar a centenas. E isso não é um exagero meu, desde o primeiro título existem lutas com (provavelmente) mais de 100 inimigos simultâneos e de diferentes raças e tipos contra um único homem muito bem armado.

Apesar do número de inimigos, as lutas funcionam muito bem e isso se deve, principalmente, ao design dos inimigos e ao arsenal de armas em cada jogo. Os inimigos têm uma boa variação de tipos e espécies e todos eles têm padrões de ataque facilmente perceptíveis e, individualmente, fáceis de se lidar. Por exemplo, um inimigo tem bombas em suas mãos e irá correr atrás do jogador gritando em um ataque suicida. Uma bala da maioria das armas ou duas das mais fracas é possível matar ele e o mesmo irá explodir quando derrotado. Individualmente, é um inimigo bastante fraco, porém os jogos gostam de usar dezenas deles vindo em todas as direções possíveis, forçando que o jogador use muito bem os ouvidos para saber quais estão mais próximos. Outro inimigo é um touro que irá atacar rapidamente em uma linha reta, absolutamente fácil de desviar quando não são meia dúzia dos mesmos tentando te matar.

O ápice da experiência dos jogos Serious Sam ocorre nesses conflitos com uma quantidade absurda de inimigos e que o jogador necessita de toda a sua concentração para desviar dos ataques e usa ao máximo seu arsenal conforme sua própria estratégia de combate. Pessoalmente, eu gosto de comparar essa experiência da série a uma dança no meio de uma zona de guerra com o jogador desviando das balas que vêm em todas as direções enquanto lida com todos os inimigos ao seu redor.

Mesmo na dificuldade normal, os jogos têm um desafio considerável e que varia bastante conforme o jogador encontra os segredos pelo cenário e pelo quão bem se mantém em cada luta. Entrar em um novo confronto com pouca vida, armadura e/ou munição torna a mesma uma experiência bastante frustrante. Em contrapartida, os segredos fornecem poderosas armas antes do tempo previsto, bastante munição, vida e armadura extra que tornam a vida do jogador muito mais fácil. Felizmente, é possível salvar o jogo a qualquer momento com o botão – e o jogo mantém vários saves simultaneamente para caso o jogador deseje retornar uma luta e tentar um desempenho melhor. Cada estágio não é particularmente longo, mas os segredos e o sistema de pontuação incentivam o jogador a fazer melhor.

Enquanto First Encounter criou as bases da série, Second Encounter pode ser considerado como uma expansão compreensiva da jogabilidade e dos cenários do primeiro título. First Encounter se passa inteiramente no Egito Antigo, portanto, todos os cenários são desertos, oásis, templos, pirâmides e afins. Second Encounter tem uma variedade muito maior de cenários e é um jogo que procura entregar e expandir a experiência principal da série da maneira mais eficiente possível. No primeiro estágio já se obtém um arsenal considerável, há uma boa variedade de monstros e armadilhas e power ups variados que aumentam a velocidade de Sam, o tornam invencível e muito mais. De certa forma, Second Encounter foi desenvolvido para impressionar aqueles que já estão familiarizados com o primeiro jogo.

Serious Sam 3 BFE é, em termos de história, um prólogo para o primeiro jogo explicando como Sam conseguiu viajar ao passado. Enquanto First e Second Encounter foram originalmente lançados em 2001-2002, BFE foi lançado em 2011 em uma época bastante diferente para jogos de tiro e praticamente no ápice da influência de Call of Duty 4 Modern Warfare no gênero. SS3BFE mantém o arsenal de Sam e a grande quantidade de inimigos típicas da série, mas há um foco maior em história, os visuais são consideravelmente mais escuros que os demais jogos da série e o level design deixa a desejar em vários pontos principalmente em fases mais fechadas. Não é uma experiência ruim, mas também não se equipara aos seus predecessores.

Em termos de desempenho, os dois primeiros jogos rodam muito bem no Switch mesmo no modo portátil, sendo que o único problema que pude encontrar nesses foi no segundo jogo que “trava” por alguns segundos para salvar. São títulos perfeitamente jogáveis e que se beneficiam bastante da portabilidade do Switch. SS3BFE, no entanto, tem uma quantidade e variedade maior de problemas, resultando em uma experiência jogável, mas subpar. Os visuais tem uma resolução baixa e partes inteiras dos níveis sofrem de pop-up, ou seja, desaparecem e reaparecem de maneira repentina dependendo de onde o jogador está.

Jogo fornecido para análise pela Devolver Digital.

80%
Ótimo

Serious Sam Collection traz ótimos jogos de tiro ao Switch com uma jogabilidade simples, porém viciante e divertida. Os títulos proporcionam vários motivos para serem rejogados seja para descobrir seus segredos ou conseguir pontuações maiores. A coletânea também marca uma excelente oportunidade para um novo público conhecer Serious Sam. 

  • Design
Comentários