A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise: Smoke and Sacrifice

1

Smoke and Sacrifice é um RPG de ação que lembra muito Don’t Starve e chegou em Maio de 2018 ao Nintendo Switch. Foi desenvolvido pela Solar Sail Games e distribuído pela Curve Digital.

A história é em torno de Sashi, que vive em uma aldeia que depende de recursos naturais, como plantações e criação de animais e por isso, os moradores dessa aldeia necessitam manter em funcionamento uma luz, que tem como função ser o Sol. Para manter esse “Sol” em funcionamento é necessário um sacrifício e é aqui onde Sashi entra, pois seu filho é o próximo sacrifício e ela não pode fazer nada. Vale ressaltar que a história é muito interessante do início ao fim, pois o mistério em torno do que está acontecendo te faz ficar curioso até o fim do jogo, sem dúvidas é um dos melhores (senão, o melhor) pontos do título.

Os gráficos são muito bem desenhados e lembram muito pinturas ancestrais, perdendo pouca qualidade do portátil para a TV no Switch e que se misturando com a trilha sonora dão um casamento praticamente perfeito.

Devemos lembrar que Smoke and Sacrifice é um jogo que tem como objetivo a sobrevivência da nossa protagonista, o que exige uma boa jogabilidade e bastante interatividade. Em Smoke and Sacrifice, esses papéis são muito bem cumpridos, com movimentação leve da personagem e muita exploração para coleta de itens que são necessários para criação de itens e comida, o sistema de crafting do game é bem dinâmico e provavelmente você terá poucos problemas com ele. Já o sistema de combate aqui é simples e rápido. Não que seja ruim, mas falta uma certa variedade nos movimentos, o que deixa um pouco superficial demais e às vezes, repetitivo.

Apesar de Smoke and Sacrifice ser um bom jogo, fica atrás de títulos no estilo como Don’t Starve (também disponícel para o Switch) e Oxygen not Included, o que nos faz pensar 2 vezes antes da compra.

80%
Muito Bom

Smoke and Sacrifice tem uma emocionante narrativa que nos envolve do ínicio ao fim, fazendo com que cada vez mais a curiosidade aumente. Com gráficos e trilha sonora que mescladas são memoráveis. Conta ainda com um sistema de crafting bem intuitivo e um sistema de combate simples. No geral é um ótimo jogo para quem gosta do estilo e não tem o que jogar, mas para novos jogadores, pode acabar virando segunda opção.

  • Final
O jogo foi gentilmente concedido pela Curve Digital para esta análise.
(The game was kindly granted by Curve Digital for this review.)

Deixe um comentário

1 Comentário em "Análise: Smoke and Sacrifice"

Ser notificado por
Zain Zahir
Amiibo

Fazer uma crítica ao seu ponto negativo.

– Não é um ponto negativo, você está cometendo um erro em mencionar o movimento “superficial” de combate como um ponto negativo. Isto não é um ponto negativo, pois o formato do próprio jogo é assim o tempo inteiro, a forma como o personagem anda e mexe os braços e pernas é exatamente na mesma pegada do combate. E não é apenas do personagem que controlamos, mas de todos os outros do game.

Um ponto negativo é quando tal coisa interfere no jogo como, algo que se percebe como prejudicial a experiência do game: comandos duros que não respondem bem, engasgamento durante o gameplay por qualquer motivo que seja, bugs e etc. Mas se prestar atenção na personagem do jogo, ela se move e faz todos os movimentos exatamente na mesma “pegada” do combate. Ou seja, foi projetado para ser assim, dizer que o combate é superficial e não dizer que todos os movimentos do jogo são, é dizer que você ou não percebeu ou escolheu seu ponto negativo de forma aleatória.

Você pode fazer uma ressalva em seu texto quando for falar de algo que você não curtiu muito, mas ao apontar tal como ponto negativo e não citar, exemplo: a personagem se mexe de forma superficial como um todo, pois ela parece ser feita de papel. Mostra que o ponto negativo escolhido por você parece algo meio “preciso citar um ponto negativo, mas não tenho nenhum… ah já sei, isso aqui parece muito superficial então vou mencionar isso aqui”.