A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise: SpongeBob SquarePants: Battle for Bikini Bottom – Rehydrated

Confesso que sou um pouco suspeito para falar sobre jogos do estilo plataforma, já que trata-se “apenas” do meu gênero favorito. Não à toa, desde que conheci o mundo dos videogames décadas atrás, Mario e Mega Man sempre foram os personagens por quem tive mais carinho.

Além desses, existem vários outros nomes que também marcaram a vida de muita gente que curte esse estilo, como acontece com as franquias Crash, Donkey Kong e Kirby, por exemplo.

Há ainda títulos mais recentes, como é o caso de New Super Lucky’s Tale e A Hat in Time, que seguem o padrão dos clássicos e buscaram adicionar novos elementos para manter os games de plataforma sempre em alta qualidade.

Obviamente, não é só porque “é um jogo de plataforma” que necessariamente ele é considerado “bom”. Existem casos (os quais não citarei aqui) que falharam nas suas propostas de agradar esse público, por motivos variados.

Entre títulos antigos e novos lançamentos, temos SpongeBob SquarePants: Battle for Bikini Bottom – Rehydrated em sua nova versão. O game, que recentemente ganhou uma versão remake, foi lançado originalmente no ano de 2003, e, como o próprio título já diz, traz o famoso personagem Bob Esponja como protagonista e está disponível para compra desde o último dia 23 de junho.

Nesta aventura, a sinopse conta que Plankton programou uma invasão robótica na Fenda do Biquíni, mas algo saiu errado e os próprios robôs seguem as ordens dadas por ele. Ataques passam a ocorrer por todos os cantos e somente Bob Esponja e seus aliados podem parar isso.

“Vocês estão prontas, crianças?”

Game conta com fases extensas, repletas de itens colecionáveis

Começamos a jornada justamente na Fenda do Biquíni, partindo, mais precisamente, de dentro da casa do Bob Esponja. A princípio, seguimos alguns tutorais de objetos que encontraremos pelo caminho. Assim, ficamos sabendo que, além de derrotar chefões e encontrar aliados, devemos procurar e pegar as desejadas Espátulas Douradas (seguindo ideia similar às estrelas em Super Mario), que serão usadas para destravar novas rotas.

É nosso dever também encontrar as inúmeras Meias espalhados nos mais diversos cantos. Outro item importante envolve os Objetos Brilhantes, que seriam as tais “moedas” do game.

Eles são divididos em cinco cores: vermelho, amarelo, verde, azul e roxo. Cada um deles apresenta um valor único, sendo o vermelho o mais comum e menos valioso e o roxo o que possui o mais raro e, por isso, o de maior peso. Ao coletar determinadas quantidades, você poderá usá-los para desbloquear novos caminhos.

Desafio do Tempo envolve meta de tempo a ser batida e coleta de itens durante o percurso

O game apresenta um total de 15 fases a serem exploradas. Entre desertos, cavernas, florestas, ou mesmo na beira da praia, os temas são os mais variados possíveis. Em cada um dos mapas, iremos nos deparar com diferentes obstáculos.

Para alcançarmos êxito, devemos estar atentos às indicações de cada missão. Para muitas delas, um personagem presente no início de cada nível deve passar maiores instruções do que deve ser feito. Em outros casos, a descrição correspondente da Espátula em questão deve indicar um caminho a ser seguido.

Entre as tarefas, vale citar os “Desafios do Tempo”, que nada mais são do que corridas nas quais devemos bater metas de tempo e coletar itens. Por causa das particularidades de cada circuito, você deverá decorar atalhos e rotas alternativas para poder conseguir vencê-los.

Principais elementos e itens do jogo

Pontos de ônibus e caixas de teletransporte: duas ferramentas bastante acionadas durante o jogo

O jogo em si é bastante interativo. Em variados pontos, encontraremos uma grande quantidade de placas com o símbolo “?” que dão dicas e ensinam como agir em determinadas situações. Eles também informam sobre novas ferramentas e habilidades dos personagens.

Os cenários principais são subdivididos em estágios (tal qual 1-1, 1-2, etc), os quais vão sendo desbloqueados conforme você for avançando. Após ativar determinada rota, é possível, posteriormente, retornar quantas vezes você julgar necessário.

Como o game oferece suporte para legendas em português do Brasil, é fácil compreender os diálogos e o andamento da história. Os menus também podem ser configurados para seguir essa mesma opção de idioma. Apenas os áudios não oferecem tradução.

Alguns objetos extremamente úteis que estão inseridos em todos os estágios merecem ser destacados: caixas de teletransporte, em formato de caixas de papelão, são utilizadas para transportar os personagens entre caixas específicas espalhadas pelo mapa; paradas de ônibus, que servem para realizar a troca de um personagem por outro; e os checkpoints, responsáveis por salvar o seu progresso.

Menu informa quantidade de Espátulas e Meias já encontradas

Em relação aos checkpoints, eles são o seu ponto de reinicio, independentemente da situação que ocorra após passar por um. É importante dizer o game não conta com “Game Over” nem mesmo reinicio de fase. Caso você saia do mapa em algum momento, poderá selecionar diretamente o ponto de entrada através das Espátulas já coletadas.

Um último elemento bastante importante envolve a vida dos personagens. Ela é medida pela quantidade de Cuecas que ele possui. Toda vez que uma Cueca é coletada, essa “barra de vida” volta ficar cheia, caso, antes disso, você tenha sofrido algum dano.

Personagens jogáveis

Suporte para legendas de português do Brasil facilita a compreensão dos diálogos e da história

O jogo não oferece uma grande variedade de personagens jogáveis. Além de Bob Esponja, temos Patrick e Sandy como opções. Cada um possui suas próprias habilidades e desempenham funções específicas.

Bob Esponja, por exemplo, possui dano em área. Ele também conta com a capacidade de se transformar em uma pequena bola, permitindo que se locomova em maior velocidade; e aprende a técnica de soltar bolhas de sabão, bastante úteis para destruir inimigos e acionar botões.

Patrick, por sua vez, tem o poder de destruir os adversários com “barrigadas” e é o único que consegue carregar e arremessar inimigos e objetos, como cubos de gelo e melancias.

Já Sandy tem como principal destaque a possibilidade de “voar”. Na verdade, o que ocorre é que, ao pular de locais mais altos, ela pode girar uma pequena corda que serve de paraquedas, podendo planar por um breve período.

As habilidades de cada personagem devem usadas para a solução dos quebra-cabeças que levam à conquista dos colecionáveis. Utilizando os pontos de ônibus, Bob Esponja, Patrick e Sandy necessitam trocar de posição com frequência, pois somente um deles pode resolver determinada tarefa. Vale apenas lembrar que, inicialmente, Patrick e Sandy não estão disponíveis e devem ser desbloqueados no decorrer da história.

Modo multiplayer

Modo multiplayer: batalhas por Objetos Brilhantes em diferentes ilhas

A edição conta com um modo multiplayer local e online. Neste modo, além de dividir os Joy-con e jogar com um amigo, você também pode hospedar e entrar em partidas online.

Diferentemente do modo história, além de Bob Esponja, Patrick e Sandy, temos mais quatro personagens jogáveis, sendo eles: Gary, Lula Molusco, Seu Siriguejo e Plankton.

Nas disputas, o objetivo é ver quem consegue o maior número de Objetos Brilhantes ao derrotar os inimigos que surgem a todo momento. Os estágios são divididos em várias ilhas e, ao ponto que for avançando, a dificuldade aumenta e o número de Objetos Brilhantes em disputa também. Ao final de cada rodada, o placar informa o vencedor e uma nova ilha é aberta.

Pelo fato das batalhas se resumirem a isso, infelizmente, logo é possível perceber que o modo multiplayer não é um dos pontos mais interessantes. A não ser que você queira passar muito tempo apenas destruindo robôs e coletando Objetos Brilhantes, não há muito sentido em prosseguir.

Gráficos, trilha sonora e nível de dificuldade

O título apresenta uma agradável trilha sonora, além de contar com belíssimos gráficos. Ainda assim, é relevante dizer que algumas animações poderiam receber um tratamento melhor, o que deixaria o jogo com um aspecto de um produto mais bem trabalhado.

Temas dos cenários envolvem florestas, praias, cavernas e, até mesmo, os sonhos do Bob Esponja

A versão Switch roda na configuração de 30 quadros por segundo, podendo alcançar até 60 quadros por segundo em alguns momentos. Em relação às versões disponibilizadas para outras plataformas, a edição lançada para o console da Nintendo apresenta diferenças técnicas e quedas consideráveis da taxa de frames em certos momentos, mas que não interferem na experiência como um todo.

As fases costumam ser bastante extensas, o que explica a divisão delas em trechos. Apesar do tamanho dos estágios, o game não conta com um mapa auxiliar, uma ferramenta extremamente necessária para jogos.

Sobre o nível de dificuldade, ele não é um dos mais elevados. Os inimigos, em geral, não apresentam grande resistência nos embates e os poucos chefões podem ser derrotados sem muito esforço.

A qualidade gráfica do jogo é um dos principais pontos positivos

Somente a partir da etapa final é que a história ganha contornos desafiadores. Conforme novas rotas vão sendo abertas, pegar as Espátulas Douradas e achar as Meias vai se tornando uma exercício relativamente mais complicado.

Os excessivos checkpoints, a impossibilidade de alteração do nível de dificuldade e a inexistência de “Game Over” são destaques negativos. É fato que, na parte final da trajetória, tais pontos ajudam bastante, porém, na maior parte do tempo, as situações citadas acima colaboram para um jogo excessivamente fácil.

Ao menos que o seu objetivo seja encontrar todos os colecionáveis, o que roubaria boas horas de gameplay, você não deve enfrentar problemas em uma jogatina casual.

Visão geral do game

O título é uma ótima pedida para os amantes dos jogos de plataforma 3D

SpongeBob SquarePants: Battle for Bikini Bottom – Rehydrated é um ótimo remake e não deixa nada quando comparado a nomes bem mais aclamados.

Se você é fã do gênero plataforma 3D, gosta de Bob Esponja e é um daqueles que não descansa até conseguir todos os colecionáveis de um jogo, essa é uma excelente pedida.

Na data em que este texto está sendo finalizado, dia 06 de junho, o título aparece com o valor mais em conta na eShop do Canadá, por R$ 124,40. É uma compra válida, apesar do preço talvez não muito atrativo.

Gráficos de qualidade, boa trilha sonora, jogabilidade simples, itens colecionáveis, amplos estágios com temas diversificados. Todos esses principais elementos, essenciais para um bom jogo de plataforma, você poderá encontrar nesta aventura de Bob Esponja e seus velhos amigos.

Jogo fornecido para análise pela editora THQ Nordic.

Ficha Técnica

  Lançamento: 23 de Junho, 2020

  Gênero: Plataforma, Ação, Aventura

  Desenvolvedora: Purple Lamp

  Editora: THQ Nordic

  Português Brasileiro: ✅Interface  Dublagem

Veredito

80%
Excelente

SpongeBob SquarePants: Battle for Bikini Bottom – Rehydrated é um remake fiel do jogo originalmente lançado no ano de 2003. O game conta com ótimos gráficos, modo multiplayer, fases extensas e itens colecionáveis. Entretanto, vale destacar o baixo nível de dificuldade do modo história e quedas consideráveis da taxa de frames em alguns momentos. Ainda assim, é uma ótima pedida para os amantes dos jogos de plataforma 3D.

  • Criteria
Comentários