A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise: Super Mario Maker 2

6

Entre o anúncio e o lançamento de Super Mario Maker 2 passaram-se menos de seis meses. Enquanto muitos esperavam que a Nintendo poderia trazer para o Switch o original Super Mario Maker, lançado para o Wii U em setembro de 2015, ela nos surpreendeu com uma versão inteiramente nova que melhora bastante muitos dos elementos presentes na versão original.

Quem nunca sonhou em ter seu dia de Shigeru Miyamoto?

Sob diversos aspectos Super Mario Bros 3 é um dos jogos que mais marcaram minha adolescência, a simples menção do seu nome já aciona um gatilho no meu cérebro e algumas de suas músicas e a imagem dos mapas com elementos dançando surgem na minha cabeça.

Muito tempo depois de ter jogado e revisitado aquele game por inúmeras vezes, vez ou outra me pegava questionando e imaginando como teria sido o processo de criação de suas fases. O tempo passou e a Nintendo parece não cansar de quebrar paradigmas com os jogos da série. Seja em mundos 2D, 2.5D ou 3D sempre somos agraciados com jogos fantásticos tendo o encanador como protagonista. E eis que surge Super Mario Maker  2 e nos oferece a possibilidade de criar nossas próprias fases, compartilhar nossas criações com a comunidade de jogadores do game, jogar as criações dos outros, disputar partidas online com ou contra outros jogadores e um ótimo modo história.

Como mencionei logo acima, diferentemente da primeira versão, em Super Mario Maker 2 temos um modo história. Claro que a premissa aqui é bem típica da franquia, vejam só, acidentalmente o cãozinho UndoDog aperta um botão que destrói por completo o recém construído Castelo da princesa Peach. Os Toad construtores ficam desesperados e … adivinhem só quem vai ajudar na reconstrução de tudo! Isso mesmo, Mario vai ter que se virar para conseguir moedas e tornar possível reerguer o Castelo. Essa é a desculpa perfeita para percorrermos mais de uma centena de fases – o que serve como uma bela forma de mostrar as possibilidades que a ferramenta de construção de fases oferece – em busca de moedas!

As fases são oferecidas pelos Toad “empreiteiros” sob a forma de trabalhos, e estes, uma vez que são concluídos, rendem uma certa quantidade de moedas. A criatividade é o único balizador para as fases, ou seja, elas não têm relação entre si, há aquelas em que devemos fugir de um cogumelo envenenado, algumas de speedrun, outras que só podem ser concluídas se derrotarmos um certo número de inimigos, e por aí vai. É uma verdadeira montanha russa de emoções, você sai de uma fase com tema de Super Mario World e já cai em outra de Super Mario 3D World, daí vai para uma de Super Mario Bros. É um barato e uma ótima maneira de iniciar sua jornada por Super Mario Maker 2. Algo que achei muito bacana, e que de certa maneira serve como um incentivo para que o jogador experimente o modo de criação, é a forma como Luigi oferece ajuda ao nos depararmos com uma fase mais difícil. Nesse caso a ajuda vem sob forma de um modo de construção bastante simplificado que nos dá acesso a um número limitado de power-ups e blocos que devem ser utilizados para facilitar a conclusão da fase.

Mas vamos falar da estrela principal do jogo, seu modo de criação de fases. As fases podem ser criadas segundo quatro estilos: Super Mario Bros, Super Mario Bros 3, Super Mario World e New Super Mario Bros U. Há ainda um estilo extra, dedicado a Super Mario 3D World. Ele foi colocado em separado talvez por ser uma adaptação 2D dos ambientes tridimensionais vistos em Super Mario 3D World, e por possuir alguns elementos que só estão disponíveis para ele, como por exemplo, o sino que transforma Mario em gato.  Uma vez escolhido o estilo podemos decidir se a fase criada será debaixo da água, no deserto, no céu, na neve, floresta, casa fantasma, castelo e por aí vai. Esses estilos e temas ficam disponíveis em uma barra lateral localizada do lado esquerdo, em outra barra lateral, agora do lado direito, temos acesso ao menu principal, ao save, a borracha e ao ícone que dá um reset na fase que está sendo criada. Na parte superior ficam dispostos os ícones de criação.

Olhando rapidamente não parece haver uma grande variedade de elementos, mas é só uma primeira impressão, uma vez que por meio de um ícone em forma de lupa acessamos uma variedade de objetos organizados por categorias como terreno (estão lá diferentes tipos de terrenos – planos e com inclinação, canos e blocos dos mais variados tipos), itens (moedas, estrela, flor, cogumelo, 1up, etc), inimigos e gizmos (P switch, Pow block, setas, chaves, warp box, trampolim, bandeira de checkpoint, On/Off switch e diversos outros blocos). Há ainda um ícone que dá acesso a uma grande variedade de efeitos sonoros, incluindo músicas de Super Mario 64 (N64), Super Mario kart (SNES), Super Mario Sunshine (GameCube) e Super Mario Galaxy (Wii). Outros truques adicionam ainda mais variedade; ao selecionar um bloco com interrogação e manter pressionado o botão Y aparece a opção de colocar asas no bloco. O mesmo processo quando feito com um Goomba conduz, além da opção de asas, a opções de cogumelo – que faz com que ele aumente de tamanho – e paraquedas.

Uma das novidades mais legais dessa versão foi a inclusão das chamadas clear conditions, essa funcionalidade permite por exemplo exigir que uma fase só possa ser concluída se não tomarmos dano, ou se não pularmos, ou se coletarmos uma certa quantidade de moedas, ou ainda se derrotarmos um certo número de inimigos, e assim por diante.

De início o processo de criação pode parecer bastante desafiador e até mesmo intimidador, mas tudo é bastante intuitivo e muito divertido. Me adaptei rapidamente aos controles, tanto no modo TV quanto no modo portátil, neste último a tela tátil do Switch torna a seleção e manipulação dos objetos uma tarefa mais fácil.  Para ajudar o game nos oferece o Dojo de Yamamura. Ora não conhece o Yamamura, então… trata-se de um pombo que juntamente com a Nina dão várias dicas de como usar todas as ferramentas de criação! As lições tratam desde o mais básico até questões realmente relevantes sobre level design. Como eu disse, são dicas e não é obrigatório você assistir  a nenhuma delas, mas vale sim a pena ouvir, ou melhor, ver e ler os sábios conselhos do Yamamura.

Conteúdo potencialmente ilimitado!

O upload das fases que criamos e o acesso as milhares de fases criadas pelos usuários, bem como a jogatina online, só são possíveis se você tiver uma assinatura do Nintendo Switch Online. Então, caso não tenha ainda, tá aí um bom motivo para considerar adquirir uma. Nesse caso a assinatura representa o passaporte para um sem número de fases divertidas e muito criativas. O jogo traz um sistema que elenca as fases mais populares, tornando fácil achar aquelas que estão sendo mais jogadas e comentadas no momento. Cada fase é identificada com um ID, uma sequência alfanumérica de 9 dígitos, e há também um sistema de busca que permite encontrar fases escolhendo parâmetros como dificuldade, tema, região (América, Europa, Japão), etc. Todas essas opções são acessadas na área chamada Course World, nesse “mundo das fases” somos representados pelo nosso Mii. Conforme o progresso vai acontecendo, tanto no modo história quanto no Course World, vamos desbloqueando conquistas como roupas e outros acessórios que podem ser usados para personalizar o Mii.

Outra novidade de Super Mario Maker 2 é o seu modo multijogador, ele está disponível tanto local quanto online. Além de Mario, agora podemos ter Luigi, Toad e Toadette disputando partidas em modo cooperativo ou versus. Infelizmente minha experiência com as partidas online não foi das melhores, em todas experimentei um grande input lag, e isso em um jogo cuja experiência depende basicamente da precisão dos controles é muito ruim. A lentidão nas respostas aos comandos é tão grande que torna a conclusão das fases quase que uma tarefa impossível de ser realizada. Antes fosse culpa da minha conexão, mas pude apurar que este é um problema que afeta praticamente todos que se aventuram nesse modo.

Há também o Endless Challenge, nesse modo escolhemos uma dificuldade e jogamos através de fases aleatórias até que nossas vidas se esgotem. Nas dificuldades fácil e normal iniciamos com 05 vidas, expert 15 vidas e super expert 30 vidas. Esse modo é bem similar ao 100 Mario Challenge presente no primeiro Super Mario Maker, só que lá encarávamos as fases iniciando com 100 vidas.

Sem limites para a criatividade!

Em tão pouco tempo Super Mario Maker 2 já conta com algumas fases memoráveis. Muitas são inspiradas em jogos de séries famosas, jogos da franquia Zelda são sempre lembrados e já renderam fases incríveis:  (Zelda: OoT Deku tree [RQN-JWJ-FQF], The Great Plateau [45B-C0S-LNG], Dodongo’s Cavern Dungeon [N6T-XXK-X0H]) , são algumas que ficaram muito conhecidas. Uma outra fase super criativa que joguei prestou uma homenagem a Wii Sports [SSF-VGD-T2G]. Já em uma outra tive que disputar três corridas com um casco de tartaruga! Isso sem falar nas fases que prestam homenagem aos próprios jogos de Mario. A inclusão de um botão que permite ligar e desligar blocos vermelhos e azuis deu asas a imaginação de vários “level designers” de plantão, e muitas fases que utilizam esse recurso foram criadas, algumas com um nível de criatividade que realmente impressiona. A variedade e qualidade de algumas criações comprovam não só o potencial criativo dos fãs, mas também a versatilidade e o alcance das ferramentas presentes no jogo.

A grande base instalada do Nintendo Switch e o crescente número de jogadores que possuem o título são uma garantia de longevidade para o game, basta ver que poucos dias após o seu lançamento a Nintendo anunciou que já haviam sido criadas mais de dois milhões de fases. Há a possibilidade de baixar e salvar as fases preferidas, que poderão assim ser jogadas quando o Switch estiver off-line.

É fácil se divertir com Super Mario Maker 2, não precisa ter nenhuma habilidade extra ou ser super criativo para aproveitar o modo de criação de fases, e talvez esse seja o seu maior mérito, fazer parecer tão simples e divertido algo que muita gente pensa ser sofisticado e complicado. Mas se por algum motivo a sua praia não é essa, ainda assim há muito conteúdo para ser aproveitado, são mais de uma centena de fases no modo história e literalmente milhares de outras criadas pelos usuários. O único porém está nas disputas online, nesse aspecto o jogo realmente fica devendo. Se eu recomendo o jogo? Sem dúvida alguma!

95%
Imperdível

Não se deixe enganar pensando que Super Mario Maker 2 é baseado apenas na criação de fases. Ele vai além, oferecendo um modo história com mais de 100 fases e diversão potencialmente infinita com novos conteúdos sendo adicionadas quase que continuamente pelos usuários. Seu único senão está nas disputas online, onde o grande input lag atrapalha bastante. Mas nem de longe isso é suficiente para tirar o brilho do jogo! Os novos elementos disponíveis no modo de criação e as clear conditions somadas a criatividade e dedicação dos usuários nos brindam com novas fases incríveis a cada dia.

  • Design

6
Deixe um comentário

4 Tópicos
2 Respostas aos tópicos
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Tópico quente
5 Autores de comentários
mauroalvesVictor HylianMestre_ConstrutorJosé Mahoncvertigem Autores de comentários recentes
  Se inscrever  
Ser notificado por
Victor Hylian
Amiibo
Victor Hylian

Fiquei Tristão quando soube que não poderia usar os Amiibos no Maker 2 ;/ estava com várias idéias legais!

mauroalves
Amiibo
mauroalves

Update pra isso logo virá.

José Mahon
Redator

A Nintendo precisa investir melhor no online de seus jogos. É incrível como eu nunca consegui jogar uma partida de qualidade no Smash, enquanto que em Mortal Kombat 11 quase sempre é perfeito. Muito triste em saber que Mario Maker tem problemas em relação a isso.

Mestre_Construtor
Amiibo
Mestre_Construtor

O pior é que nesse jogo impacta bastante no gameplay. Mas já tive partidas sem lag.

mauroalves
Amiibo
mauroalves

Problema do input lag pode ser corrigido com um patch.

cvertigem
Amiibo
cvertigem

Nunca joguei o primeiro, mas esse eu gostei bastante
Não sou muito de criar fases, mas sempre jogo as fases dos usuários.