A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise Touhou GensoWanderer -RELOADED-

2

Touhou GensoWanderer -RELOADED- é um Roguelike misturado com um Dungeon crawler e nesse jogo temos uma aventura curiosa, agora vamos descobrir se isso vai agradar aos fãs do gênero.

Primeiramente para quem não sabe um Roguelike é um subgênero de jogos RPG, caracterizado pela geração de nível aleatória durante a partida e um Dungeon crawler é um RPG ambientado em calabouços ou masmorras.

A historia começa quando temos que investigar um evento estranho que não vai ser mencionado para não atrapalhar a experiência. Apenas vale citar que mesmo sendo simples o enredo é bem japonês e deve agradar aos fãs que gostam dessa característica que deixa a historia bem divertida.

Algo importante a se citar é que trata-se de uma sequencia sendo possível entender todos os fatos somente com esse titulo, mas quem acompanha a serie vai ficar feliz uma vez que varias respostas a eventos anteriores são explicadas.

As musicas são ambientes e eu não consegui encontrar nenhuma musica que se destaque ou que eu tenha achado interessante, acredito que isso seja um dos principais pontos negativos.

O visual é bem simples, mas é agradável e não incomoda, todavia uma qualidade maior nos cenários seria bem vinda, muitos locais são simples demais e destoam dos personagens.

O principal vem agora, a jogabilidade, nessa temos um clássico dungeon crawler e isso fica bem evidente desde o inicio. O personagem pode andar por quadrados em um mapa gerado aleatoriamente e seguir caminho matando inimigos, procurando armas e itens até achar a saída.

Nesse momento o jogo diverte bastante, fazendo que seu melhor momento seja a jogabilidade estratégica uma vez que a posição no cenário, uso de itens e equipamentos vão ter que ser bem pensados.

Algo desagradável é o fato que ao morrer o personagem simplesmente perde todo o progresso, sei que é próprio do gênero Roguelike que isso aconteça, ocorre que eu morri depois de 3 horas jogando e tudo foi embora, o que deixa você voltando a estaca zero e isso frusta bastante. Antes que alguém comente isso, gostaria de citar que vários títulos do gênero resolvem isso, deixando algum tipo de habilidade nova para que você não tenha que começar novamente.

Existe um sistema de fusão de objetos que faz com que tudo fique mais complexo, todavia o sistema usa menus simples e você vai se pegar usando esse sistema para conseguir itens melhores.

O jogo foi gentilmente concedido pela NIS para esta análise.
(The game was kindly granted by NIS for this review.)

2
Deixe um comentário

1 Tópicos
1 Respostas aos tópicos
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Tópico quente
2 Autores de comentários
LamartineClima's Autores de comentários recentes
  Se inscrever  
Ser notificado por
Clima's
Amiibo
Clima's

Como fã de Touhou, preciso comentar aqui. q

Vamos lá, a franquia é algo bem liberal, então teremos vários gêneros para os jogos, além dos padrões danmaku bullet hell. Aqui temos um Roguelike feito pela Aqua Style, sendo que esse é uma versão “completa” do terceiro Roguelike deles.

O jogo é bem divertido, os diálogos são bacanas (principalmente da Futo, hue hue), visuais simples e, o tenso do jogo, uma dificuldade absurda em certas partes da história do jogo.
A música, há tantas originais como outras clássicas da série.

Apensa não compreendi algo na análise, tenho 100 horas de jogo já, quando você morre no jogo, você não perde os itens que conseguiu durante a exploração, os mesmos voltam para você, podendo guardá-los no baú. A única coisa que perdemos é a experiência e os níveis, voltando para o o nível 1.

O sistema de fusão é complexo mesmo, porém é o melhor para conseguir os melhores equipamentos (e o jogo tem uma quantidade absurda de equipamentos, sendo eles armas, defesas e amuletos).

Em fim, para um jogo bem simples, ele me prendeu bastante no último mês, claro que muitas vezes a dificuldade do jogo te deixa nervoso ao morrer por inimigas apelonas, porém ele valeu muito a pena para mim.