A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise – Wargroove

Pois é… não é que a estratégia veio e em peso?! Quando eu menos esperava precisava parar para raciocinar como, com quem e para onde eu iria para me defender de diversos tipos diferentes de criaturas, vindas de todos os lados e com as mais variações de ambiente possíveis!

Advance Wars — se você conhece um pouco da história dos video games ou mesmo já foi um dos fanáticos e frenéticos dentro dos campos de batalha meu caro amiibo leitor, vista-se! É hora de voltar para uma batalha tão boa ou até melhor do que aquilo que esperávamos de uma possível continuação do clássico das estratégias baseada em turnos. A Chucklefish prometeu e trouxe um dos jogos que vai te prender por algum ou um bom tempo na telinha (ou telona) do seu Nintendo Switch — e o nome dele foi feito para te marcar: Wargroove.

O início de sua guerra se desdobra quando você se depara com soldados mortos-vivos da maléfica Felheim,e para proteger sua nação dessa terríveis ameaças você assume o papel da rainha Mercia que comanda Cherrystone contra os Felheim. Wargroove traz a jogabilidade bem familiar para aqueles que se comprometeram ou ao menos experimentaram jogar um pouco de Fire Emblem e Advance Wars: você deve mover suas unidades estrategicamente pelo mapa, atacar seus inimigos e ter certeza de que não perca todo seu exército antes de derrubar o líder do bando inimigo. Mas só parece simples.

Wargroove conta com uma belíssima variedade de raças e personagens cheios de fraquezas e pontos fortes, deixando sob sua responsabilidade equilibrar o exército de forma que o combate te favoreça de todas as frentes possíveis. Os mapas são bem variados, indo de planícies à montanhas, passando por lagos, florestas, campos nevados… são várias possibilidades diferentes, fazendo com que algumas dessas batalhas perpetuem por horas dependendo de suas ações. Claro, como toda boa história desafiadora, em algumas batalhas você terá de encarar objetivos específicos (como destruir uma unidade com “X” movimentos, chegar à um local, sobreviver e etc).

No campo de batalha, os comandantes sempre serão os mais poderosos, capazes de causar danos bem destrutivos, então recomendo que você se fortaleça antes de bancar o paladino da justiça com um personagem na frente de um colossal monstro comandante de exército. Isso porque eles estão munidos da habilidade “Groove”, os deixando muito mais fortes que qualquer unidade presente no campo. Diferente dos seus jogos inspiradores, Wargroove conta por exemplo, com um sistema de Hit Crítico para cada unidade sem que seus movimentos no turno se façam necessários para que ele seja influenciado.

Agora um ponto que pode dividir bastante os jogadores: Dificuldade. Me pego passando pela história tranquilamente até chegar em uma determinada hora que o jogo resolve dizer que “não quer mais que eu avance”. Isso porque de repente as coisas começam a se complicar de forma descontrolada, seja pelo número excessivo de unidades e construções no campo de batalha, ou até mesmo por estratégias da I.A. por “trás das cortinas” apenas para te frustrar — sem um motivo lógico ou razoavelmente justificável eu diria. Mas não se preocupe, com um tempo você acaba se prevenindo até mesmo desse tipo de jogada inesperada e acaba contornando todo o problema (não sem um pouco de dor de cabeça antes).

Wargroove funciona muito bem no Nintendo Switch, possui suporte ao nosso idioma (português do Brasil) logo de início e uma das poucas coisas que você pode sentir é que as telas informativas do jogo parecem um pouco confusas para quem é iniciante ou mesmo veteranos acostumados com simplicidade.De qualquer maneira, o trabalho feito pela Chucklefish é ótimo à ponto disso não ser qualquer obstáculo para quem anseia por esse tipo de jogo. Outro ponto bacana é o suporte ao cross-play entre o Switch, Xbox One e PC, garantindo que você possa se divertir com seus amigos por um bom tempo através das guerras com novas estratégias, unidades e até partidas engraçadas. Vale lembrar que também há suporte ao multiplayer local, além de um modo criativo em que você pode colocar toda sua criatividade em ação para criar novas histórias com enredos, mapas, unidades e tudo o que tiver direito para compartilhar e desafiar os demais jogadores.

95%
Excelente

Veredito

A Chucklefish criou uma verdadeira obra de arte que o gênero de estratégia com base em turnos necessitava fazia algum tempo. Wargroove com certeza vai divertir qualquer fã de Fire Emblem e Advance Wars, além de facilmente poder ser tratado como sucessor com louvor do último citado. O jogo promete e cumpre com toda a diversão divulgada durante suas atualizações de desenvolvimento, definitivamente essencial para sua biblioteca do Nintendo Switch.

  • Criteria

O jogo foi gentilmente concedido pela Chucklefish para esta análise.
(The game was kindly granted by Chucklefish for this review.)

Deixe um comentário

7 Comentários em "Análise – Wargroove"

Ser notificado por
Emissario
Amiibo

Comprei e estou jogando. Muito 10 o jogo.

denis_timao
Amiibo

Parece interessante. think

Mestre_Construtor
Amiibo

Não curto muito RPG tático. Será que vale a pena arriscar comprar esse?

denis_timao
Amiibo

Tô no mesmo barco kkkk

Emissario
Amiibo

Já saiu??? Cacildis, que rapido!

Fernando_L
Amiibo

Sai amanhã. Mas já está em pré-venda.

denis_timao
Amiibo

Isso mesmo