A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Análise: Zero Gunner 2

1

Como falar de um jogo que a muito tempo está na minha cabeça seja pelas musicas ou pela jogabilidade incrível. Esse é Zero Gunner 2. Um jogo de Arcade muito bom que depois de ser portado para o Dreamcast chega nessa versão para o Nintendo Switch.

Zero Gunner parece um jogo simples, mas tem mecânicas muito interessantes para época que foi lançado. A primeira vista se pensa que é um jogo de nave comum, todavia ele se destaca pela ideia simples e desafiadora de poder posicionar sua nave em qualquer direção. Ao segurar o botão “Y” ao invés de se mover pela tela o helicóptero gira em torno do seu eixo.

Dessa forma além de escolher a posição do helicóptero na tela você também deve escolher em que posição os tiros estão indo. Assim as fases se tornam bem estratégicas e dinâmicas com inimigos vindo de todos os lados da tela. Vale citar que isso não se torna frustante uma vez que seu helicóptero não é destruído imediatamente ao encostar em outros inimigos. Logo os inimigos que vem por trás vão empurra ao invés de destruir.

A arte do jogo é charmosa e advêm dos Arcades em sua melhor forma. Algumas melhorias claras foram feitas na versão de Switch como a maior resolução e efeitos mais bonitos, mas ainda usa os modelos feitos na época e em cenas mais próximas isso fica bem claro.

As musicas de Zero Gunner tem um tom especial pra mim, especialmente a musica da fase da água e do mar de nuvens:


As musicas são tão belas que encantam de primeira e acredito que quem tiver escutando enquanto lê esta analise vai se apaixonar. importante dizer que no Switch elas ficaram mais limpas e com uma qualidade surpreendente.

A arte do jogo é bem criativa e enquanto você joga elementos vão entrando na tela como um teaser do que vai surgir na sua frente.

Enquanto você luta em cima o inimigo no meio da tela está subindo para lhe enfrentar

O jogo carrega em sua essência a sua vinda do Arcade e traz consigo um menu que pode ser utilizado para determinar a dificuldade e quantos creditos você vai poder utilizar, além de um filtro que é bem interessante que deixa o jogo com visual de um monitor CRT.

Pela sua natureza Arcade o jogo conta com 7 fases onde as 4 primeiras vem de forma aleatória e as 3 ultimas são em sequencia. Assim você logo de cara você pode se deparar com a belíssima “Marine Base” e já amar de primeira a musica. Esse sistema de deixar as fases aleatórias faz com que o jogo tenha uma variedade em seu inicio e se você quiser terminar com os três créditos padrão vai ter que treinar em todas elas.

Uma característica de jogos dessa época está presente, o modo multijogador que deixa o jogo ainda mais divertido.

Qual é seu preferido ?

Uma coisa muito boa é que ao iniciar o jogo você tem a opção de escolher entre três helicópteros que são totalmente distintos em seus visuais e em suas armas assim cada jogador vai escolher aquele que lhe agrada mais.

Zero Gunner 2 é um port de um grande jogo de Arcade que foi revivido no Nintendo Switch. É praticamente um tributo aos fans de jogos de nave e merece atenção se você não o conhecia.

85%
Divertido

Um jogo de Arcade que foi inovador em sua época pela sua jogabilidade e que com certeza vai valer o seu investimento. Se você gosta do gênero é um jogo que você tem que conhecer, seja pelas musicas lindas ou pelo seu marco histórico. Zero Gunner 2 é realmente um grande jogo.

  • Total

Deixe um comentário

1 Comentário em "Análise: Zero Gunner 2"

Ser notificado por
stona
Redator

Muito bom, lembra bastante a infância na época dos fliperamas. Bem que eles poderiam fazer um remake do sonic wings =/