A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Em entrevista, James Kuroki comenta sobre o que podemos esperar de Shining Resonance Refrain

Durante a última semana, a SEGA confirmou a chegada de Shining Resonance Refrain para o Switch. Embora o jogo só tenha sido anunciado inicialmente para PlayStation 4 no Japão, o RPG de ação também chegará para o novo console da Nintendo em breve.

O produtor James Kuroki falou um pouco mais sobre o título. Kuroki comentou sobre o que os jogadores podem esperar do jogo, o que há de novo em comparação com a versão original do PS3 de alguns anos atrás, e outras coisas mais. Confira a entrevista completa:

Jacob Nahin: Para os novos jogadores, o que é a série Shining?

James Kuroki: A série Shining é uma longa série lançada pela Sega. Alguns jogadores mais antigos podem reconhecer o nome de Shining Force da era Gênesis. Criou-se um hiato desde o último lançamento no ocidente, mas esperamos que Shining Resonance Refrain possa servir de vanguarda para futuros títulos.

Jacob Nahin: O que é Shining Resonance Refrain?

James Kuroki: Shining Resonance Refrain, embora novo para o ocidente, é um remasterização do jogo Shining Resonance, originalmente lançado para PS3 apenas no Japão. Esta é a primeira vez que o estamos trazendo-o para o ocidente. Junto com gráficos melhorados, Shining Resonance Refrain inclui todo o pacote de DLC lançado para a versão original, além de um novo modo “Refrain” com novo conteúdo, o qual destrava a Princesa Excella e Dragonslayer Jinas. Este novo modo destina-se para aqueles que querem jogar o título novamente ou que jogaram anteriormente a edição lançada no Japão.

Jacob Nahin: O que os jogadores notarão quando jogarem este jogo?

James Kuroki: O jogo já parecia ótimo no PS3, mas neste remaster em 1080p, ficou lindo. Graças ao aumento da fidelidade visual, os modelos dos personagens agora se parecem exatamente com as ilustrações fornecidas pelo designer Tony Taka, um renomado artista no Japão e no exterior.

Cada personagem age de forma diferente, então você gastará o seu tempo tentando inúmeros movimentos e combinações disponíveis. O jogo faz um excelente esforço para manter as batalhas sem emendas e manter o jogador envolvido com o sistema de batalhas. Os combates são cheios de ação, com todos os lados movendo-se de uma só vez.

Shining Resonance Refrain também contará com dublagens em inglês e japonês. Os jogadores poderão não apenas escolher qual idioma eles preferem ouvir, mas também poderão fazê-lo sempre que e quando quiserem, ainda que no meio de uma batalha.

Jacob Nahin: Como o elemento da música influencia na jogabilidade e na sabedoria da série?

James Kuroki: A série Shining tem algum tipo de ênfase na música. Shining Resonance Refrain não é exceção. Os dragões compartilham o poder com a humanidade e a humanidade fornece poder aos dragões através do uso da música. Todos os membros do grupo usam armas que servem como instrumentos, além de poderem ser utilizadas durante as batalhas, oferecendo vários benefícios, como aumentar a velocidade do grupo ou tornar o inimigo mais vulnerável a certos ataques.

Existem várias músicas em destaque no jogo, feitas pela Elements Garden, um grupo de produção de música que criou muitos temas de sucesso para inúmeros artistas, videogames e animes. As canções são cantadas pelas atrizes de voz japonesas, incluindo Saori Hayami, Asami Seto e Nana Mizuki.

Jacob Nahin: Conte-nos sobre os personagens do jogo.

James Kuroki: O protagonista Yuma é um jovem tímido, inconsciente do mundo e crédulo, devido a estar trancado por possuir a alma do Dragão Brilhante dentro dele. Em comparação, as pessoas ao seu redor atuam de maneiras diferentes. À medida que a história avança, Yuma aprende com elas e se torna um membro confiável da equipe.

Os personagens são únicos e cheios de personalidade. Por exemplo, Kirika é uma sacerdotisa que serve o Dragão Brilhante. Ela fala de maneira bastante formal e é bastante cortês, mas só vê Yuma como o Dragão Brilhante. Sonia, por outro lado, é muito extrovertida e direta. Ela ajuda Yuma em momentos de indecisão, mas pode ficar mal-humorada às vezes. Há muitas histórias paralelas que podem ser testadas, tanto sérias quanto cômicas, como fazer eles marcarem um encontro e ver o modo de agir de cada um, de uma forma que você não conseguiria normalmente.

Jacob Nahin: O que você pode nos contar sobre a Excella?

James Kuroki: Excella, juntamente com Jinas, eram personagens não jogáveis ​​na versão original (de PS3). Mas, no modo Refrain, elas estão disponíveis e têm as suas próprias histórias para contar. Excella era uma personagem muito popular na versão original japonesa. Tenho certeza que os jogadores entenderão o motivo assim que jogarem. No entanto, eu recomendo jogarem o modo original primeiro, porque o modo Refrain traz uma história contada em cima dele.

Fonte Playstation Blog
Comentários