A casa de notícias para os fãs da Nintendo

O destino de dois lobos

2

O ano de 2006 foi muito importante para o panorama dos videogames. Com um ano de Xbox 360 no mercado e a dupla Wii e PS3 sendo lançados, era o fim da última geração predominantemente offline e focada apenas em gamers. O futuro traria consoles sempre online, capazes de reproduzir diversas mídias e ainda servir de passatempo para sua mãe e avó; Mas 2006 em específico também trouxe dois jogos bastante semelhantes, mas com background e expectativas  totalmente diferentes.

Anunciados em 2004, Twilight Princess e Okami foram ambos recebidos de formas bem distintas. Enquanto que o jogo da Nintendo causou festa entre seus fãs e se tornou título mais aguardado da empresa, o da Capcom recebeu pouca atenção da mídia mainstream.

A frenesi atrelada a Zelda faz todo sentido quando lembramos que os fãs da série não reconheceram, na época, Majora’s Mask e Wind Waker como verdadeiras sequencias do grande sucesso que foi Ocarina of Time. Mesmo não sendo uma sequencia direta, é bem óbvio que a proposta de Twilight Princess era apelar diretamente aos fãs da primeira aventura 3D de Link, expandindo diversos de seus elementos.

A estética, aspecto mais alardeado durante seu anúncio, parecia uma interpretação da primeira aventura do Nintendo 64 em uma nova tecnologia. Certas mecânicas de OoT foram expandidas, a mais famosa sendo o combate em montaria, mas também vimos o retorno de diversos inimigos, incluindo o chefe Gohma e boa parte do repertório de itens e locais (incluindo dungeons). Mesmo com toda esta semelhança, Twilight Princess introduz muita novidade na forma de itens, sidekick e mecânicas, sendo a habilidade mais famosa a de se transformar em lobo.

Okami, por outro lado, não tem um histórico pelo qual podemos comparar. Coincidentemente, a maior inspiração do game design parece ser justamente a série Zelda. Porém, todos os elementos estético e culturais são tirados da cultura japonesa, especificamente seu folclore e religião. Não é como se a série da Nintendo também não tivesse feito isso antes (Wind Waker vem a mente), mas a inspiração aqui é bem mais direta, servindo como base para sua ambientação, estória e até mesmo mecânicas.

O objetivo em Okami é explorar um vasto e diverso mundo, adquirindo habilidades que o ajudam a conquistar certas áreas governadas por um poderoso inimigo que você deve combater ao final. Tudo isso enquanto se relaciona com diversos personagens e resolvendo sidequests. Se você achou tudo isso bem semelhante a Zelda, você tem toda razão. Porém, Okami não é um plágio, existe muita diversidade na aventura, sem contar que a estória, narrativa e elementos estéticos por si só já o diferencia bastante até mesmo de Wind Waker. Dito isso, é comum encontrar semelhanças em sua estrutura de jogo com Zelda’s anteriores a Breath of the Wild.

Mesmo com toda a semelhança, incluindo ambos terem lobos como seus protagonistas, houve um abismo entre a popularidade de ambos os títulos. Twilight Princess foi um dos jogos de lançamento do Wii e também era um título feito especialmente para agradar à base de fãs de uma série famosa. Okami era uma nova IP lançada para um aparelho no final de sua vida. O que distinguia Okami dos demais jogos era também um dos seus maiores inimigos: A sexta geração não foi muito receptiva ao seu estilo visual, sendo Zelda a melhor série para falar sobre o assunto. Okami, infelizmente, não foi um sucesso, mesmo tendo ganhado diversos prêmios, incluindo de melhor jogo do ano.

Porém, hoje em dia o título é lembrado como um jogo cult, tendo sido relançado para Wii, PS3, PS4, Xbox One, Windows e Switch. Houve até uma sequencia para o DS, intitulada Okamiden. Nenhum destes relançamentos trouxeram o título ao público mainstream, mas ao menos não o deixaram morrer como um jogo disponível apenas uma plataforma a preços caríssimos no mercado de usados. Twilight Princess, por outro lado, foi relançado para o Wii U em alta definição, mas até o momento ainda não apareceu no Switch. Portanto, ao contrário de Okami, TP não pode ser jogado em consoles da geração atual e nem tampouco de forma portátil.

Mesmo tendo histórias bem distintas, 2006 nos agraciou com dois lobos protagonistas de duas fantásticas aventuras. O leitor provavelmente já jogou Twilight Princess, mas com o lançamento da versão de Switch de Okami esta é a melhor hora para conhecer o mundo criado pelo (infelizmente defunto) Clover Studio.

Deixe um comentário

2 Comentários em "O destino de dois lobos"

Ser notificado por
Zain Zahir
Amiibo
Okami foi aclamado pela mídia mainstream. Recebeu sim todas as atenções da mesma, inclusive conseguiu o feito de ser eleito o jogo do ano de menor sucesso comercial (pela IGN que faz parte da mídia mainstream e por ela, o jogo abateu twilight princess, gears of war, wii sports e the elder scrolls iv, os medalhões da época) . Isto é, a mídia estava o tempo todo falando de como o jogo era incrível e só elogios, nunca foi esquecido e sempre é lembrado em listas e matérias (como a sua). Okami nunca foi um jogo desconhecido que você menciona… Ler mais »
Mestre_Construtor
Amiibo

Tenho Okami pro Wii. Mas não terminei. Acho que o visual muito japonês me afastou do jogo. Mas tenho vontade de voltar a jogá-lo algum dia.