A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Opinião – Pokémon Let’s Go, Pikachu / Eevee

29

A The Pokémon Company enfim trouxe à tona na última semana seus planos para a franquia no Nintendo Switch. Não só um, mas três anúncios – sendo um deles apenas uma confirmação para 2019 – foram feitos durante conferência reservada a mídia especializada de diversos países.

Neste artigo, darei minha opinião e meu ponto de vista especificamente sobre um desses anúncios: Pokemon Let’s Go, Pikachu e Pokemon Let’s Go, Eevee. Mas antes disso, é bom lembrar:

Informação: O artigo que você lerá a seguir reflete a opinião apenas de seu autor e não representa, de nenhuma forma, o que o site Switch Brasil pensa sobre a franquia. prezamos sempre pela imparcialidade independente do que nossos colaboradores pensam sobre quaisquer anúncios.

Dito isso, sigamos.

“No início houve Pokémon GO, e a Game Freak viu que aquilo era bom…”

Foi aqui que o sucesso renasceu

800 milhões de downloads ao redor do mundo – Foi assim que Masuda destacou o sucesso absurdo de Pokémon GO, um aplicativo para dispositivos móveis lançado em 2016 com o propósito de levar imersão aos fãs da franquia com a simples fórmula de capturar os monstrinhos (e batalhar, caso queiram). Ora, como um jogo fora dos trilhos comuns, conseguiu um sucesso tão enorme? Para efeitos de comparação, Os jogos mais recentes da franquia, Pokémon Ultra Sun e Pokémon Ultra Moon (classificado como RPG ‘mainline’ ou ‘franquia principal’) atingiram pouco mais de 14 milhões de unidades vendidas ao redor do mundo¹. Preciso repetir que isso não faz nem cócegas ao público ativo de Pokémon GO? Mesmo que seu argumento seja algo como “mas nem todos jogam mais”, te garanto que a base ativa é muito, muito maior que 14 mi.

Foi aí que as quatro empresas – Nintendo, Niantic, the Pokémon Company e Game Freak – observaram um potencial absurdo para trazer todo esse “novo público” para a base atual dos “hardcore” em Pokémon. Imaginem em um cenário paradisíaco, se todos migram? O quão benéfico seria isso para todas as partes envolvidas, até mesmo a própria base de fãs?

 

“Afinal de contas, o que é Let’s Go, Pikachu / Eevee?”

Vamos começar pelo básico: São jogos da franquia principal, que foram incluídos em uma nova e recém inaugurada categoria de jogadores, que podemos classificar carinhosamente como “calouros” ou “migrantes”. O CEO da Pokémon Co. Ishihara deixou claro que são dois títulos “mainline”, inspirados² em Pokémon Yellow (Gameboy, 1998) – veja bem, inspirados…NÃO SÃO REMAKES – e com mecânicas de Pokémon GO incluídas junto com a primeira geração de Pokémon, ginásios e região.

 

Qual o motivo de tantos fãs não terem gostado do anúncio?

Acompanho a franquia há quase 20 anos, e comigo com certeza uma legião de fãs dos RPGs de Pokémon aguardavam pelo “core RPG” que Ishihara comentou de forma bem sutil durante a última apresentação em vídeo da Nintendo na E3 de 2017. O jogo está em desenvolvimento faz um tempo, e só sabemos “por boca” da existência dele, nada mais que isso. Pokémon Let’s GO, Pikachu / Eevee no entanto, não foram criados com o objetivo de entreter essa nossa galera veterana, e isso foi repetido tantas vezes na conferência² que eu quase mandei um email com “já entendi Masuda-san”, deixando claro que ambas empresas querem introduzir o nosso conhecimento do que realmente são os jogos para toda essa galera de Pokémon GO – e isso simplesmente têm de ser feito da maneira mais amigável possível.

Não dá para fazer as pessoas acostumadas com a mecânica de Pokémon GO entender tudo o que já sabemos dos jogos de uma hora para outra, isso não é ne um pouco convidativo. Imagine você caro leitor, aprender sobre EV, IV, status pré captura, HP baixo para facilitar captura, treinos, super treinos, sistema de ovos, método Masuda, Ditto perfeito… do nada? (e eu nem citei que temos +800 criaturas disponíveis).

 

Minha opinião / interesse nesses jogos

Pokemon Let’s Go, Pikachu e Pokemon Let’s Go, Eevee são excelentes jogadas de mestre das empresas. Utilizar apenas o continente familiar de Kanto, com pouco mais de 152 Pokémon , uma história reformulada, a mecânica sensacional de co-op para ajuda em batalhas, capturas e tudo mais… imagine quantas famílias sequer precisarão ter mais de um console para jogar juntos um jogo de Pokémon? O povo que ficou com medo do online não existir, viu de uma hora para outra que ele vai existir sim (exigindo a assinatura do Switch Online), para garantir que a essência das trocas e batalhas online permaneçam – mas só isso também. Em outro ponto, a volta do recurso tão aclamado que é um Pokémon de sua equipe te seguindo… com modelos em escala “real” ainda por cima e a possibilidade de montar em alguns deles dependendo de seu tamanho (como Onix e Lapras), são novidades muito bem vindas.

Óbvio que as limitações quando comparadas ao RPG “raiz” podem incomodar quem já é acostumado com os jogos, mas ainda assim, qual o motivo de eu não comprar Let’s Go? É Kanto em 3D, refeita e modificada, com tudo isso que enfatizei acima e uma ótima pedida até mesmo para novatos!

Capturar um Pokémon junto com alguém? Quem imaginava?

Eu trabalho de madrugada, e no dia após o anúncio, logo que cheguei em casa fui parado pela minha esposa com um “nossa, você viu que legal o novo Pokémon? A gente vai poder jogar junto…” – na hora, eu parei e pensei: A Game Freak conseguiu! Ela nunca jogou qualquer jogo da franquia, até tentava mas perdia rápido o interesse. Porém jogou Pokémon GO por um tempo, e reconheceu de longe o recurso de captura… ou seja, bateram no ponto certo para esse público.

 

Menções Honrosas:

Pokémon espalhados no Overworld é algo que eu prefiro muito mais que apenas uma mexida na graminha ou transição de tela ~do nada~ para uma batalha. Sinceramente, o fator “surpresa” não me fará falta.

 

 

Ausência das batalhas contra Pokémon selvagens vai deixar um gostinho de saudade, mas vai me facilitar muito correr atrás de toda a dex, uma vez que somado ao item acima, ficará muito melhor ir atrás de poké X ou Y, sem desperdício de lutas que vez ou outra não dão em nada.

 

 

Volta dos ginásios vêm em hora perfeita. Com todo respeito aos desafios de Alola (Sun, Moon, Ultra Sun e Ultra Moon – 3DS), ginásios são parte da essência da franquia e devem ser respeitados. A pergunta que fica é: e no co-op, será que poderemos vencer ginásios junto ao nosso parceiro(a)?

 

 

O novo design de Kanto é outro item que merece minha “honra ao mérito”, uma vez que só no primeiro trailer foi possível ver que locais familiares estão dezenas de vez bem mais trabalhados que até mesmo Omega RubyAlpha Sapphire (3DS). Masuda ainda comentou² que algumas partes do continente foram modificadas, o que é bom, mas tenho uma nova pergunta aqui: Sevii Islands… (Fire Red e Leaf Green – GBA) será que teremos?

 

As formas de Alola é algo que julgo justo estarem presentes no jogo, minha curiosidade aqui é saber como elas serão introduzidas à região, visto que eram restritas das distantes ilhas de Alola. Imagine um Alolan Exeggcutor seguindo você… isso é maravilhoso!

 

Pokeball Plus é aquele acessório “pega fã” da franquia que venderá horrores principalmente no Japão. Praticamente um Joy-Con exclusivo para jogar Let’s Go, PikachuLet’s Go, Eevee (e Pokémon GO também) que possui ainda um sistema semelhante ao Poke Walker (Heart Gold Soul Silver – DS) que mal foi detalhado, só sabemos que o Pokémon estará lá, com você, e terá inclusive reações. Isso fora a imersão clara na hora de simular a captura de um Pokemon, nada melhor que a própria pokebola, não é?!

 

E os veteranos?

Se você simplesmente não gostou, ou acha que eles não “passam de mero spin-off”, minha única dica é que aguardem por 2019, o teu jogo está sendo preparado.

Ainda assim, prevejo que até novembro, muitos desses que estão “sentidos” com esse anúncio acabarão dando uma chance à esses jogos, que possuem a receita perfeita para bater milhões de vendas e até mesmo desbancar qualquer um dos jogos anteriores. Acho que antes de qualquer coisa, precisamos dr aquela “experimentada” na nova experiência para só depois afirmar o quão bom ou não esses dois títulos foram feitos.

 

E você que leu até agora, pretende adquirir os jogos?

 

¹ Informação divulgada no último relatório fiscal da Nintendo
² Informação divulgada durante a conferência da Pokémon Co. no Japão

29
Deixe um comentário

19 Tópicos
10 Respostas aos tópicos
7 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Tópico quente
21 Autores de comentários
Matheus XavierGerusBladeShadowflygabrielnovyKaio Autores de comentários recentes
  Se inscrever  
Ser notificado por
GerusBlade
Amiibo
GerusBlade

Eu só vou pegar dependendo do que tiver de novidade no pós-game. Eu gostei do anúncio, bateu uma nostalgia de quando eu jogava Pokémon Yellow que era emprestado, nem meu era o jogo (eu tinha só o Red em francês).

Mas é aquela coisa, o pessoal de mimimi com esse jogo deveria parar um pouco e pensar, se não gostou, espera 2019 que o SEU Pokémon já está vindo TAMBÉM! Não tem motivo pra choro. Foi uma ótima sacada esse jogo pra preparar terreno pro jogo da série principal.

Obs: mesmo eles dizendo que são mainline, eu não caio nessa, pra mim é um spin-off, mas vendem como sendo mainline, ou vocês acreditam que Yoshi’s Island é Super Mario World 2? :pikachu2:

Shadowfly
Amiibo
Shadowfly

Olha, vai sair um jogo tradicional de pokémon em 2019, então não tem porque os mimizentos chorarem agora. Eu nunca joguei pokémon na minha vida, sempre tive vontade porem nunca achei um jogo para iniciantes na franquia, acho que esse jogo será uma boa porta de entrada…Eu irei comprar, pela primeira vez, um jogo de pokémon…

gabrielnovy
Amiibo
gabrielnovy

Sempre tentei jogar Pokémon e nunca consegui. Sempre me interessou a ideia, mas o jogo em si nunca achei legal pois não gosto do estilo de batalhas em turnos e odiava as batalhas aleatórias pelo cenário. Cheguei a começar alguns Pokémons e o único que terminei foi o Y. Ainda, comecei o Sun e mais por conta dos gráficos, mas ainda não conseguiu me prender.

Comecei a jogar o Go, achei legal não ter que ficar batalhando, ver os Pokémons no cenário e poder escolher o que eu quero, mas achei com pouca profundidade. A mecânica do Go, com a história e o mundo dos Pokémons e ainda nas batalhas em ginásios e contra amigos ser no estilo antigo, acho que agradará um grande público. Eu mesmo já me sinto interessado nesse novo Pokèmon.

E acho que o de 2019 será um Pokémon voltado a batalhas, mas sem história. Acho que será um Pokémon Stadium.

Matheus Xavier
Amiibo
Matheus Xavier

Exatamente o que eu acho. Eu que quando criança era fan do anime mas nunca consegui ir muito longe nos pokemon de Game Boy, por achar chato e demorado as batalhas aleatórias, adorei essa proposta do Lets GO. :haha:

Kaio
Amiibo
Kaio

otimo artigo, independente de ser jogo principal ou spin off estou com muita vontade de jogar.
O que me preocupa sao os precos dos jogos da big N por aqui, a falta de suporte oficial como a sony e M$ oferecem faz falta.

Mestre
Amiibo
Mestre

Eu só não sei se muita gente que joga o GO vai migrar pra versão do Switch.
Penso isso pq a versão de smartphone é de graça (nunca gastei um centavo no jogo) enquanto que a versão do Switch para quem ainda não tem o console custa 360 dólares + o preço da Pokebola (que é um dos atrativos do jogo)

Lamartine
SmashBoss

Eu sou um dos que fiquei ansioso com esse jogo da serie principal como o excelente comentário de Ikki Son falou a serie fez varias escolhas ruins pra tentar arrecadar um publico maior que deixaram os jogos com profundos defeitos de progressão. Tb demorei meses pra seguir em SM e tenho USM parado aqui pq não consegui sobreviver aos tutoriais.

Com certeza espero um grande publico vindo para o jogo que vai deixar bons frutos para o futuro da serie. Espero também que o jogo de 2019 evolua como jogo e traga para todos os fãs da serie um mundo vivo e vasto ao invés de ser um SM HD.

Só de ser seguido pelo pokemon em tamanho real já garante a alegria. O fim do matinho tb foi muito bem vindo, mas esperava os Pokémon vivendo no seu habitat como acontece com os monstros de Xenoblade.

Excelente artigo Felipe. Principalmente é ótimo de ler pq é de alguém que conhece profundamente a serie.

Aos que acham que é um jogo spin-off não se preocupem. O jogo vai vender bem e a gamefreak vai transformá-lo em Spin-off para fazer mais sequencias. Se ele vender imensamente bem o Pokémon core vai virar o spin-off.

wiiner
Amiibo
wiiner

Tentando entender essa necessidade em auto afirmar que o jogo não é um spin-off. :huh:

E afinal, qual problema se o jogo for um spin-off se ele for competente no que se propõe? :think:

NMaster
Amiibo
NMaster

Olha, eu confesso que na primeira vez que assisti o trailer do jogo eu fiquei assistindo aquilo tudo revoltado.. decepcionado com o que haviam feito com o prometido jogo. Eu havia criado tantas expectativas para o primeiro jogo principal de Pokemon em um console de mesa, que na hora me senti traído. Mas essa revolta toda foi porque eu ainda nao sabia que a Nintendo estava produzindo Gen 8 em paralelo ao Let’s Go. O tal jogo de Pokemon prometido ano passado na E3, que todos esperamos, na verdade vai sair ano que vem e isso me acalmou mais e me fez deixar a minha cegueira (causada pela raiva) de lado. Após isso, comecei a olhar para Let’s Go com mais carinho e atualmente estou empolgado pra comprar o jogo e experimentar Kanto em HD de uma forma mais leve. Mal posso esperar por mais noticias e imagens do jogo..afinal, ainda preciso me decidir se vou querer um Pikachu ou um Eevee!!!Acho que vai ser uma boa forma de aguardar o jogo de 2019!
Parabens Felipe, ótimo artigo!

ThiagoRP
Amiibo
ThiagoRP

Main nada. É um spin off barato e uma sacada GENIAL das empresas responsáveis pela franquia. Vai trazer muitos dos que jogaram o Go pro switch e esse é o objetivo (sem contar que é um Go evoluído e será full price muito provavelmente). Aos acostumados com a série principal dos jogos, aguardemos 2019 com a esperança de uma boa geração. Vou ficar sem comprar o spin off e esperar o anúncio do ano que vem.
OBS: também não curti a falta de ginásios em Alola. Acho que os desafios andariam muito bem como um plus, acompanhados dos ginásios.
OBS2: os gráficos estão bem mais ou menos. Mas por se tratar de um spin off, não há tanto problema.

Tiago Alves
Amiibo
Tiago Alves

Nunca liguei pra isso, mas por incrível que pareça, a minha maior decepção do jogo foi a parte gráfica (é sério). Vou s eparar meus pontos por números e explicá-los

1 – ANÚNCIO ERA UMA FRASE – O jogo foi anunciado na e3 do ano passado, sem nenhuma imagem ou algo do tipo. O que me fez pensar que o jogo estava mais cru que metroid (que pelo menos teve um slider/teaser).

2 – UM ANO DE DESENVOLVIMENTOS – Os rumores apontando que o jogo sairia esse ano me deixou com medo, porque seria um ano apenas, pro desenvolvimento do jogo. (Nesse ponto eu fiquei feliz do “core” ser só em 2019, espero que metade da gamefreak já esteja trabalhando nele, e aos poucos a equipe de lets go vá pra o de 2019).

3 – REUTILIZAÇÃO DE ASSETS – Breath of the wild foi um renascimento pra série Zelda, assim como Mario Odissey, minhas expectativas estavam altíssimas quanto ao “novo pokemon”. Um mundo aberto como Xenoblade (wii e wiiu já exibiam um mapa gigantesco e belo), Personagens vivendo em seus biomas, como em Monster Hunter (ou principalmente Monster Hunter World). Não precisava nem ir muito longe, era só se basear em Pokemon Snap, era só pegar aqueld Bioma e transformar em um jogo de batalhas por turno. Mas em compensação, resolveram fazer um Sun/Moon HD, utilizando os mesmos assets (aquelas graminhas em formato de “quadrado” já estão ultrapassadas, pokemon agora é 3D, não precisa manter um recurso 3D.

4 – POKEMON STARS – Escrevendo o tópico 3* eu cheguei a uma conclusão que pode contrariar os tópicos 1 *e 2*, mas PODE SER, que esse jogo seja o POKEMON STARS, que seria um port de moon pro switch, e por isso os assets são bem parecidos, por isso também que o jogo já está saindo (porque ele já estava em desenvolvimento pro switch a muito tempo atrás, e o pokemon anunciado na e3 do ano passado não tem nada a ver com esse lets go e sim o de 2019.

5 – POKEMONS VISÍVEIS – Eu gosto desse gameplay novo de você conseguir ver o pokemon na fase, mas a proporção dos bichos e o comportamento deles está muito pokemon go. Parece que os pokemons só estão lá para serem capturados. É como se um beedrill ficasse apenas voando pra lá e pra cá, ao invés de tentarem te atacar. Seria incrível ver pokemons brincando, caçando, etc, e você tivesse que ir até eles pra capturar.

6 – CÂMERA VOLTOU AO TOPO – Em moon a câmera do jogo estava mais dinâmica, e na altura do ombro do personagem. Lets go lembra x e y, com aquela câmera superior que deixa tudo retrô.

E agora minhas 3 ideais “gráficas” pro de 2019, que eu tenho certeza que não serão implementadas (Gamefreak não é uma boa desenvolvedora ao meu ver, e estão sempre na zona de conforto, então dificilmente fariam mudanças drásticas no jogo).

Mas imaginem :
– um mundo aberto onde os pokemons “vivem”. Tipo em monster hunter, onde os pokemons ficam em bandos, e de vez em quando atacam outros pokemons ou a você. Você poder aproveitar um pokemon enfraquecido por outro pokemon e tirar vantagem disso pra captura. Pokemon Snap pra mim é o melhor exemplo de bioma. Mesmo sendo visualmente mais feio que qualquer pokemon portátil desde X e Y, Snap ainda consegue ser lindo. Agora imagine, algo como a fase Vulcano em Pokemon Snap, e pra você conseguir capturar uma rapidash, você teria de correr atrás dela até alcançá-la e iniciar uma batalha (como os cavalos de botw que fogem de você), e quanto maior a IV do pokemon, mais “arisco” ele seria.

– ausência de “rotas”. O jogo poderia ser menos linear, assim, você poderia escolher por qual caminho percorrer desde o início do jogo, facilitando assim você montar sua equipe mais rapidamente. (as vezes você gosta de um pokemon no qual você só captura lá pelo fim do jogo. Sendo que nem todo mundo joga pokemon após zerar uma vez). E pra ajudar na narrativa, alguns caminhos seriam bloqueados por causa de praias ou lagos (HMs) ou montanhas muito altas que você só pudesse chegar através do Fly. (Xenoblade X, muitos lugares você só chega depois de pegar os Skells que voam).

– Capricho gráfico. Não precisa abandonar o estilo cartoon, mas ninguém merece pedras e gramas ainda seguindo o esquema de “blocos”. Fora que em Diamante e Pérola a gente conseguia nos lagos, enxergar o fundo dos mesmos. Ninguém merece um jogo em que a água ainda se comporte no estilo windwaker, onde a água é tão transparente quanto o chão. (falando em água, uma água transparente poderia trazer o retorno do HM Dive, que eu adorava).

José Mahon
Redator

Como os jogos da série principal vão sair ano que vem, não vejo problema de receber um spin-off este ano. A série Go é muito popular e é ótimo ver a Nintendo lançando essa “expansão/sequência” para o jogo de Smartphone.

Porém, eu não faço parte do público alvo, então vou esperar para ver o que a série vai oferecer em 2019.

Ikki Son
Amiibo
Ikki Son

Como esperado de você. Concordo plenamente, inclusive quando você aborda um lado sem diminuir outro (gyms/trials, no wild battles). Só quero dizer umas coisas. Primeiro quero deixar claro o que são 800 milhões, a melhor forma que encontrei de evidenciar isso é dizendo que mesmo se uma empresa comum pagasse pra gente jogar, já seria difícil alcançar esse número (ou seja, não é porque é grátis), mais de 10% da população mundial jogou o jogo! É um jogo, não é uma ferramenta de comunicação e expressão como o Facebook! Segundo, é nítido que Pokémon não é mais uma explosão que foi nos anos 90. Vende muito bem, mas é muito estável e creio que eles estão correndo atrás de explodir novamente há muito tempo. Primeiro tentaram um reboot (BW), não deu certo, depois tentaram voltar com Kanto (mais popular) numa geração nova (iniciais e Megas em XY), não deu certo. DS explodiu, 3DS caiu por conta da sua concorrência com Smart phones e como diz o ditado “Se não pode vencê-los, junte-se a eles” e assim perceberam que Apps eram a melhor forma de marketing “Veja os Pokémon aqui e se quiser explorar eles de uma forma melhor, compre um 3DS”. No entanto Shuffle e Picross não foram o suficiente e ai aparece a Niantic com a melhor solução de todas. Deu muito certo, Pokémon explodiu novamente e isso gerou alguns problemas em SM como o excesso de diálogos e tutoriais visando os novos jogadores, também colocaram muita coisa de Kanto pra pegar os fãs antigos e ainda não funcionou, ainda estava estável. Até que chegaram no caminho certo com Let’s Go, pois agora existe um console popular e robusto pra aguentar um jogo que não pareça obsoleto, isso atrairá muita gente, existe conexão com o GO e tem a Kanto tão amada por todos (me incluo) e nisso eu concordo com você, Let’s Go é claramente um jogo de transição entre GO e RPG core. Melhor do que criar um jogo cheio de tutoriais como SM (que se tornou ‘inrejogável’ pra mim, o USUM estou tentando zerar há 6 meses). É o caminho certo, vi pessoas no meu facebook que nunca tiveram um portátil da Nintendo e nem gostam tanto de videogame, compartilhando o trailer com vontade de jogar. Enquanto os fãs raiz não foram traídos já que teremos nosso jogo em 2019 e também podemos esperar curtindo nossa Kanto novamente. Assim eles também conseguem fazer a Nintendo feliz lançando um jogo em 2018. Útil e agradável – Penso que enquanto estudante de administração e fã de negócios (oportunidades de lucro) eu ficaria até com raiva da Game Freak se não tivessem aproveitado uma oportunidade tão incrível quanto essa. Também quero ver a companhia vendendo bem e cada vez mais pessoas jogando e participando da nossa comunidade. Pra concluir, sinto que depois de tanto tentar, finalmente encontraram o caminho e agora poderemos voltar a ter os nossos jogos tão maravilhosos quanto os que tivemos até a quarta geração, sem querer desmerecer da quinta a sétima, mas eu particularmente sinto uma falta de direcionamento nessas gerações, agora sinto que eles têm todos os elementos pra lançar algo muito pleno.

cvertigem
Amiibo
cvertigem

Eu gostei do que fizeram:

Pokémon novo se fosse sair esse ano acho que seria “apressado”, então poderia vir lotado de bug’s e problemas de performance, mas o pessoal está se retorcendo por um Pokémon no Switch, então esse remake já serve para Ter um Pokémon no console, pela nostalgia, e também para atrair público novo que só jogou o Pokémon GO para o Switch

Ano que vem sai o Pokémon que todos queriam, e provavelmente já vai ter muito mais público

E poxa, esse negócio de co-op local me agradou demais…

Penso que deveriam lançar esse ano um remaster do Metroid Prime Trilogy (do Wii), para preparar o terreno para Metroid Prime 4

Thiago Emanuel
Amiibo
Thiago Emanuel

Acho que a Nintendo e a Game Freak não iriam fazer um jogo de uma franquia tão maravilhosa como essa ruim, principalmente se tratando do primeiro pro nintendo switch, lembrando qur a geracao 8 vem em 2019, quem tá achando o jogo ruim, deveria dar uma chance, eu mesmo pretendo comprar sem sombra de dúvidas, só imaginar colocar um Pokémon naquele joy com em formato de pokebola, vai ser 10000.

Anderson Boechat
Amiibo
Anderson Boechat

Gostei do artigo, segue minha linha de pensamento,
Eu pretendo sim comprar, ja estava juntando $ pro switch,
Por um lado me decepcionei, pois espero um novo jogo em kanto a muitos anos, seja um reboot ou um bw2,
Eu queria uma kanto com pkm de outra regiões em suas kantonian forms e até alguns pkm inéditos, 😢, novos gyms, etc…
Fazer o que, me contentar com 152 pkm e fingir que os outros 656 ainda nao existem, fora isso fiquei muito feliz pq é a oportunidade de trazer o pessoal do Go pra franquia principal, além de que os que nunca jogaram em kanto vão ter a chance, e tbm aqueles que jogaram e quiserem, como eu, revisitar essa regiao com outros olhos, novos recursos, etc. .,
Tem gente teimando que é Spinoff, eu encaro como uma nova linha da franquia principal, pq nao? ter 2 linhas principais, uma pra seguir com 8a, remake sinnoh 9a, remake unova, etc… e outra “opcional” começando desde a 1a.
*começei a jogar o GO após esse anúncio

JoBandeira9
Amiibo
JoBandeira9

Excelente análise!👌🏾
Esses jogos são uma jogada de mestre que vai atrair mais gente para a franquia de console e expandir a comunidade.

Shalnark
Amiibo
Shalnark

Faz mesmo muito sentido comercialmente esse spin-off, mas definitivamente não faço parte do público alvo, vou esperar pelo jogo do ano que vem.

O que mais me preocupa é eles quererem colocar certos elementos desse jogo no “core”, como a falta de batalha com pokemons selvagens e captura super simplificada. Espero que tenham bom senso na hora de ver o que deve ser migrado ou não.

Ah, sem duvida gostei dos Pokemons te seguindo e você montando neles, mas ainda não tenho opinião formada sobre ter pokemons selvagens no overworld. Vou esperar pra ver melhor como isso será implementado.

denis_timao
Amiibo

Ótimo texto Felipe. eu como fã não escondo que não gostei, pelo fato de não ter a captura dos monstrinhos da forma tradicional e a ausência do mato, mas isso não é um problema que me impediria de comprar o jogo, o que mais me preocupa mesmo são as mecânicas de combate e status dos Pokes que devem ser extremsnte simplificado.

Dito isso sem dúvida é fantástico ver Kanto refeita, além de poder andar com seus Pokes.

Confesso que preferia muito mais um Remake como em Fire Red/Leaf Green com gráficos atuais, mas eu darei uma chance ao game após ler as reviews.

No mais, comercialmente falando não há dúvida que foi uma jogada monstro da Big N.

Will Garcia
Amiibo
Will Garcia

Bom, sinceramente não pretendendo pegar esses jogos,

Motivo 1, jogos de switch não são os mais baratos do mundo, com o dinheiro que gastaria nesse pokemon conseguiria pegar um grande jogo que poderia me segurar muito mais horas na frente do console, (imaginem o preço disso ai no Brasil)

Motivo 2, como o autor mesmo disse, esse é um jogo que serve de ponte entre GO e a serie CORE, jogo Pokémon desde o RUBY então não acho que seria o título mais agradável para mim.

Motivo 3, parece que jogar pokemon GO vai ser uma enorme vantagem para quem jogar esse jogo, mas não tive paciência para jogar o pokemon GO.

Embora eu gostei bastante do anuncio, acho que essas nova série é bem promissora, e já temos um fato sobre ela, vai vender muito.