A casa de notícias para os fãs da Nintendo

Opinião – Sem a Pokédex completa, Megas ou Z-Moves… A oitava geração de Pokémon vai ser tão ruim assim ou devemos manter a calma?

Olá treinadores a postos no aguardo pela passagem que vos permitirá visitar Galar, tudo bem?

O mês de junho está sendo uma montanha-russa de emoções para fãs da franquia de jogos Pokémon. No início do mês finalmente obtivemos a primeira grande leva de informações à respeito da oitava geração de jogos que se passará na região de Galar em Pokémon Sword e Pokémon Shield. Conhecemos os primeiros personagens que serão chave para nossa aventura, assim como mais alguns novos Pokémon presentes nessa geração e as principais mecânicas foram apresentadas em um Nintendo Direct dedicado.

Nessa semana aconteceu a E3 2019, e como no ano passado a Nintendo trouxe Pokémon para os holofotes com a apresentação da líder de ginásio Nessa e da compatibilidade com o acessório Poké Ball Plus, além de exibir um gameplay com cerca de 20 minutos durante o Treehouse Live — com a presença do produtor Junichi Masuda e do diretor dos jogos Shigeru Ohmori.

Os problemas começaram quando ambos confirmaram aquela que seria a notícia mais devastadora para aqueles que são fãs colecionadores da franquia: Pokémon SwordPokémon Shield não poderão receber — ao menos nesse primeiro momento — Pokémon através do app HOME (lançamento previsto para 2020) que estejam fora dos registros da Pokédex de Galar. Ora, se a franquia me vende o tempo todo a frase “Gotta catch ‘em all!”, qual o sentido de não poder ter todos os mais de 900 monstrinhos no produto que eu irei adquirir? De acordo com a Game Freak, “o número elevado de monstrinhos e a qualidade de animação dos modelos nesses jogos” seriam a dificuldade na implementação de todos eles.

Se a primeira porrada não tivesse sido eficiente o suficiente, mais duas foram confirmadas: Mega Evoluções e os golpes especiais introduzidos na atual geração, os Z-Moves, também não darão as caras na nova região. O editor que vos digita aqui é fanático pela franquia, joguei e finalizei 80% desses jogos, de Pokémon RedPokémon Moon e um dos convites mais bacanas dos últimos tempos era levar as novidades de uma geração para outra e assim por diante. Um golpe no meu coração de fã que foi difícil de assimilar por durante esses dias.

São notícias ruins, mas os novos jogos ficam com a qualidade ameaçada?

Minha opinião? Não!

Eu sei, está realmente difícil engolir a seco essas “novidades” quanto à retirada de recursos dessa geração, inclusive em escala mundial os fãs da franquia subiram uma campanha com a hashtag #BringBackNationalDex na tentativa de reverter a decisão de restringir a quantidade de monstrinhos presentes em Galar, mas isso não significa que o que foi mostrado até agora esteja ruim.

Em seu stand na E3 2019, a Nintendo disponibilizou uma área dedicada à Pokémon SwordPokémon Shield com uma demo dos títulos em que os jogadores podem desafiar o ginásio de água comandado pela recém-revelada líder Nessa.

Ao ver alguns vídeos circulando pela web, consegui equilibrar minha decepção atual com minha empolgação novamente, principalmente por ter percebido algumas melhoras muito legais implementadas nessa nova geração. Listo algumas delas agora, unidas ao que mais gostei do que foi apresentado de maneira geral:

  • Mundo semi-aberto sempre foi um sonho como fã da franquia, que é muito linear nos jogos anteriores com espaços limitadíssimos em suas rotas.
  • Movimentação livre da câmera na Wild Area é algo que deixa a imersão ainda maior nessa tentativa de “abrir o mundo” parcialmente da Game Freak.
  • Pokémon no overworld é uma mecânica herdada de Let’s Go, Pikachu! / Eevee! tremendamente bem vinda, e que de fato traz personalidade à natureza selvagem proposta pela franquia.
  • Variedade de Pokémon é outra coisa que me agradou demais! Como já mencionado antes, serão diversas espécies diferentes de Pokémon que irão variar com vários fatores externos como clima, dia da semana, se dia, tarde ou noite… enfim, possibilidades de variação não faltarão e isso me fará ficar boa parte do tempo nesse local.
  • Dynamaxing também me agradou, e o fato disso ser restrito aos ginásios e às batalhas especiais não deixa a mecânica tão maçante quanto eu pensei que seria à princípio.
  • Max Raid Battles eu nem preciso dizer nada, quem joga Pokémon GO sabe o quão divertido é o esforço coletivo para derrotar os gigantes poderosos que aparecem diariamente. Aqui em casa o sucesso está garantido.
  • A personalidade e a carisma dos personagens apresentados e até mesmo as expressões dos protagonistas foram melhoradas com relação à Pokémon Sun / Moon, ou seja, mais realismo como esperado por mim na transição de gerações.
  • Os Pokémon em si apresentados estão dando um show de design. Corviknight atualmente é meu predileto, mas dizer que não gostei de algum design dos que foram apresentados até agora seria uma mentira gigantesca! Todos fofos!
  • Os Ginásios estão maiores e mais bem desenhados que nunca! O meu receio de que os puzzles poderiam ser retirados deles caiu por terra com a demo apresentada na E3. A batalha contra a líder Nessa me mostrou ainda uma interação maior com alguém de suma importância em batalha, com frases sendo ditas por ela durante a partida de tempos em tempos, além de cenas bem trabalhadas nas vitórias (ver o Sobble comemorando sua vitória ficou muito show de bola!).

Enfim, estamos na fase inicial de divulgação e promoção desses novos jogos e de fato, não há como negar que o pé esquerdo quase ultrapassou o direito nesses anúncios feitos durante a E3. Espero que as desculpas sejam trocadas por ações para que Sword Shield realmente respondam às nossas expectativas do primeiro grande jogo da linha principal de Pokémon para um console de mesa.

Vamos aguardar e acalmar nossos ânimos por hora — sem, é claro, aliviar a barra dessa que eu julgo como “uma decisão preguiçosa” dos desenvolvedores.

Mas e quanto à você, caro(a) leitor(a)…

Como ficou sua expectativa pelos jogos após os anúncios da E3?

Comentários